segunda-feira, abril 21, 2014

da dor e seus demônhos

Costumava ouvir Legião Urbana quando estava muito triste.
Naquele dia, ouviu a discografia inteira e ainda o disco em italiano do Renato Russo.


É preciso transformar a dor em qualquer outra coisa que já não doa ou que faça parar de doer.
É preciso transformar a dor em alguma poesia qualquer.


O que você oculta de si mesmo? Perguntas retóricas demais.
Artifícios.


- Há coragem, sempre, agora. Sempre. Sempre.
Vital Lordelo num muro da Rua da República - Cidade Baixa - Porto Alegre. -


Hoje não tem trilha sonora de background. 
Sem banda. Sem orquestra.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

domingo, abril 06, 2014

#eujá*

Eu já usei crocs.
Eu já fui magra.
Eu já morri d´amor (mas ressuscitei depois).
Eu já tive unha encravada.
Eu já gostei de coisas que não gosto mais.
Eu já li Paulo Coelho.
Eu já me arrependi.
Eu já me fiz de vítima.
Eu já escrevi poesia! OH WAIT!
Eu já torci o dedo mindinho do pé. Esquerdo.
Eu já vomitei na pia da cozinha da casa da mãe de um amigo. (ok, abafa)
Eu já fiz luzes no cabelo.
Eu já fui abduzida. #tôbrinks 
Eu já achei que meu caminhãozinho era pequeno demais para a areia alheia. E nem eras.
Eu já comprei gato por lebre.
Eu já fui jovem.
Eu já fui míope.
Eu já tive um blog. (mas não espalhem)
Eu já bebi água de Afrodite, que nem era pra ser bebida. E, depois, bebi água da Lagoa dos Patos. #tudoverdade
Eu já xinguei muito no Twitter.
Eu já fui bedel da vida alheia (mas aprendi com o @albumdefamília que isso é super out e #baixoastral)
Eu já meti o nariz onde não fui chamada. #soudessas
Eu já caí andando de bicicleta duas vezes no mesmo dia. #winner
Eu já chorei assistindo o Jornal Nacional. Mas, quem nunca, né?
Eu já fui irônica com quem não entende ironia.
Eu já cantei (e dancei) na chuva.
Eu já quebrei a cara.
Eu já tive vontade de quebrar os dentes de alguém.
Eu já briguei na rua.
Eu já floodei. E floodo ainda. Floodo mesmo.
Eu já disse que ia e não fui. E vice-versa.
Eu já contei até 10 antes de explodir.
Eu já me perdi por aí. Mas depois me achei.
Eu já perdi as estribeiras.
Eu já achei dinheiro na calçada.
Eu já dormi na calçada.
Eu já tive um bicho de estimação imaginário.
Eu já espiei pelo buraco da fechadura.
Eu já fiz o jogo do copo.
Eu já me levei a sério.
Eu já iscrevi erado.
Eu já fiz 30. E sobrevivi a isso.
Eu já menti. Mas, também, eu já disse a verdade. Muitas vezes.
Eu já fui o que eu comia. Mas, agora, eu não sou mais. :P
Eu já levei uma pancada na cabeça e tive amnésia seletiva por 1 dia. #juropordeus
Eu já tive medo de dentista e de barata. Hoje, eu só tenho medo de morrer de forma violenta & estúpida. E de sapo.

~ originalmente escrito em tweets há exatamente 2 anos atrás. Um lindo orefecimento Timehop. ~ 


# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

domingo, fevereiro 16, 2014

diamante louco
"Com o vazio que sobrou do churrasco de domingo e com afeto / fiz teu carreteiro predileto / pra você parar em casa / qual o quê..."

Da série Poesia Croquete, tomo 1.

...

(sério, é essa a vibe. de que tem um monte de coisas do lado de lá que eu ainda não ousei.)
fragmento de diálogo com a Erica, via gtalk - 15 de março de 2011



- até quando? -

#pergunteaomuro
Av. João Pessoa - Centro de Porto Alegre




Se você tiver que escolher entre você e o seu amor, você escolhe quem?”. Podia ser a pergunta retórica do dia, mas é só a trilha inspiradora da Karina Musa Buhr. S2



# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

domingo, fevereiro 02, 2014

sanar
O que acalma um coração cheio de urgência?

café quentinho jorge drexler banho frio ouvido de amigo cheiro de lavanda riso de criança céu-limpíssimo-nenhuma-gota-de-chuva um gole de rum estrela cadente confete & serpentina letras miúdas em papel pautado flor no cabelo pastel de feira

ausências de pontos finais


portos


fins


...


Sentindo uma imensa necessidade de preencher lacunas, foi lá e zerou as palavras cruzadas.

...

Ainda sobre significados e pontos de vista: "pena" pode ser piedade ou punição. Pra pensar e ficar tudo na língua do pê.

Pseudos-aliterações.



- GEOGRAFIA (também) É AMOR - 

#amornomuro
rua riachuelo, centro histórico, porto quente & alegre
...

No meu pé d'ouvido, uns menino (sem plural) de Brasília me dizem que "beleza é abraçar contradição".
E é, mesmo.


# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

domingo, janeiro 26, 2014

ziriguindices
Passei a semana triste-tristinha, com uma tristezinha que não sabia de onde vinha, pra onde ia. Aí na sexta-feira, a caminho do Conexões Globais, lembrei que tinha Bloco da Laje abrindo os trabalhos do Carnaval 2014 na Esquina Democrática. Foi necessário meia hora de folia, apenas, pra tristeza ir embora e nunca mais voltar. 

Era banzo.

- ache o gato
bloco da laje 2012, ciudad baja, portalegre, brazil -

Samba enredo incidental nas vozes das gentes lindas-coloridas do Bloco da Laje: 


Evoé!


# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

domingo, janeiro 19, 2014

sola_mente
Sonhei que caía no chão em uma rua movimentada e ninguém vinha me ajudar a levantar.
Que bela metáfora da vida, amigos!


E outro dia, distraída, quase fui atropelada por um carro em plena Travessa da Paz. Teria sido irônico (icônico?) se não fosse tragicômico.


Aí resolvo escrever aqui de novo e me dou conta que nem sei mais se consigo escrever algo com algum começo, meio e fim. Descobri que me fragmentei. É como se eu, historicamente tão prolixa, me tornasse, paradoxalmente, concisa.

Mas, não se enganem.

Continuo usando vírgulas (e parênteses) demais.


Eu? Eu só queria ser maior do que sou.
Metaforicamente.
#olheasparadasdeônibus
R. José Bonifácio, minha Redenção, Portalegre.


No meu radinho-online Barbara Eugênia e Tatá Aeroplano me ajudam a lembrar que “tenho pés, tenho dedos, tenho plantas, tenho planos”. E quem não tem?

(Foi a Lanna quem me presenteou com essa música que só pode ser ouvida no repeat e sentindo alguma dor. Eu retribuo com esse post. Ele é dedicado a você, Lanna.)

# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

segunda-feira, janeiro 13, 2014

ortônimos ou Complexo de Samsa
“Certa manhã, ao despertar de sonhos intranquilos, Gregório Duvivier encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso.”


Taí um bom argumento pra um vídeo de humor de 3 minutos. [ok]




Em nenhuma passagem de Metamorfose Franz Kafka diz que o personagem Greg Samsa havia se transformado em uma barata. Isso fica subentendido pela descrição que ele faz do bicho pavoroso. Mas ele nunca disse que era uma barata.


E na frase “Navegar é preciso, viver não é preciso” (que não é do Pessoa, ele só cita, entre aspas, inclusive, num poema), “preciso” está empregado no sentido de “exatidão” e não de “necessidade”.


Porque tudo (tudo tudo tudo) nessa vida nem é a coisa em si, mas a forma como a gente interpreta essa coisa.


Tudo.




#olheasportasdecorrer
Av. Venâncio Aires, entre a Cidade Baixa e o Bonfa, Portalegre.



Trilha original: Tibério Azul sangrando folk-rimadinho com só-taque pernambucano no meu pé d’ouvido: "o abajur ligado me faz refletir / talvez a poesia daqui seja da gente se querer admitir /fraco, forte, veloz, lento, leve, light como o vento”. S2

# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

terça-feira, janeiro 07, 2014

The Joy Luck Club*
Sobre "August: Osage County" tenho a dizer apenas que: toda mulher se transforma em sua própria mãe a partir de algum momento da vida. Resignem-se com isso. Ou vão se tratar.


...

E o bom de ver essas f(r)icções é pensar que "ok, nem é real", mas sempre deve existir gente "numa pior" pior que a nossa pior. Sempre tem uma família mais podre do que a sua, Nelson. Sempre tem.

#pergunteaomuro 
Av. Desembargador André da Rocha, Sentido Bairro-Centro, Portalegre, Brazil.
...

Trailer incidental: O Clube da Felicidade e da Sorte.
(anotação não-mental: assistir mil 1 milhão vezes e morrer de chorar, todas as vezes, na cena do cabeleireiro.)

...

By the way: amanhã volto pra análise. 
2014 vai ser está sendo um ano bem interessante. Apesar dessa azia.
...

*Esse post não contém spoilers.



# . por Joelma Terto .  5 Comentários     

domingo, janeiro 05, 2014

Eno
1º dia de 2014: azia.
1ª sexta de 2014: azia.
1º domingo de 2014: azia.

Esse vai ser o ano do sal de fruta.

...

Depois de 3 anos, 6 meses e 26 dias, depois do Halos(a)can dar fim em todo o histórico de comentários, de uma crise, muita análise, de trocar de emprego, uma viagem dos sonhos, de pedir alta da análise, de duas perdas e alguns quilos a mais, voltei. Mas, não esperem muito. Eu mesma não espero.

...

Trilha incidental: Bebel Gilberto cantando "que passe por mim a doença / que passe por mim a pobreza / que passe por mim a maldade, a mentira e a falta de crença", malemolentemente. No repeat. Como fosse um mantra.


#pergunteaomuro 
Travessa Comendador Batista, Cidade Baixa, Portalegre, Brazil.

... 

 #postnãopagododia

# . por Joelma Terto .  8 Comentários     

quarta-feira, junho 09, 2010

PELE


- cenas de um domingo ensolarado e quentinho de quase-inverno. fotos minhas mess -


A partir daqui, são vários caminhos, bifurcações. Possibilidades. E tem a possível possibilidade de continuar exatamente onde se está.

"Conforto alucinante, tranquilidade na clareira do caos
O ponteiro, ele rodou mais rápido no mesmo relógio de ontem
O que as horas guardam nos espaços do contra-tempo?
A mulher?
Mulheres sombras bonitas e o sol
Dos desejos dos tios e dos avós
Muitas crianças bonitas chorando
E o desejo, o desejo
Os desejos erros
"
(otto e lirinha, lirinha e otto. porque CERTA MANHÃ ACORDEI DE SONHOS INTRANQUILOS é a melhor coisa produzida no ano de dois mil e nove de nosso senhor)

# . por Joelma Terto .  9 Comentários     

segunda-feira, abril 26, 2010

os meninos em volta da fogueira
É pra ouvir alto, muitas-inúmeras-repetidas vezes. É pra ser feliz. Porque não tem como não ouvir essa música linda do Wado, ver esse clipe lindo do Glauber e não ser feliz:



"Nunca desista, não se ausente, coração, novamente..."
(wado e adriano siri)

...

E quanto custa a liberdade?

# . por Joelma Terto .  2 Comentários     

terça-feira, abril 20, 2010

BODAS DE LÃ
77 e eu comemoramos hoje 7 anos hoje de amor & chamego, companheirismo & respeito. & muito mais.

77 e eu. E vice-versa.


...

Hoje eu também comemoro 11 anos de formada. Comemoro, né?

# . por Joelma Terto .  11 Comentários     

sábado, abril 10, 2010

SELVA
Muro do Ocidente, João Teles, Porto Alegre.
Foto: Joelma Terto - www.flickr.com/photos/monomulti


Abri janelas, esvaziei gavetas, arredei colchão.
Vou tirar a mala de cima do armário. Limpar. Ariar. Deixar quarar.
Tem a ver com abril e outonos. Com Clarices e Chicos.
Ouvir mais, gritar menos.
Aspereza e doçura.
(porque não não é resposta)
Nem sempre ganhar - um jogo, uma guerra - é o mais importante. Até porque, quase sempre, nem é partida, nem batalha. Mas quase sempre a gente nem sabe.

...

E, não é mesmo, Marcelo Camelo, que "perceber aquilo que se tem de bom no viver é um dom"? Não é?

# . por Joelma Terto .  7 Comentários     

quinta-feira, abril 08, 2010

de flores, de cores
Atenção Portalegre! La Reina Madre vem aí. Agendem-se: dias 9 e 10 de abril, no Café Bertoldo da Casa de Teatro de Porto Alegre. Estamos combinados?



Estamos.

Nos vemos por lá.

# . por Joelma Terto .  2 Comentários     

quarta-feira, março 31, 2010

PASSAGEIRO
Março, em fotos:

DJ Ashba, DISMULINDO na abertura do show do Guns n`Roses em Porto Alegre. (Foto de Cacá Ferrino)


Palco do Festival Nacional da Cuca com Linguiça de Victor Graeff. Que momento! MELHOR FOTO. Minha mess.


Benito di Paula, MESTRE, anima o Baile da Cidade, em Portalegre. (clique de Jojo)


...

Então passou março, daqui a pouco é abril e eu não vi. Ou vi de relance.
A vida consome, sempre. Cada vez mais corporativa, cada vez tentando mais dar conta da dupla jornada profissional-dona-de-casa, que cada vez exige mais. Eu me exijo. Ciclos. Gangorras.
Então abril é amanhã e, daqui a pouco, minha quarta viagem a trabalho no ano. É uma boa média.
Tentando esvaziar gavetas (literalmente) e aparar arestas.
E sem saber muito como continuar aqui, o que tenho pra dizer e pra mostrar. Tenho estado mais ultimamente. Mais superficial?

Não sabendo muito bem como continuar...

Mas aí vem os amigos, a família, o amor, as esperanças que a gente nega pra tentar se enganar, a crença, sobretudo, nas realizações, sejam quais forem.

Aí vem Lia, querida-mais-que-querida, desde lá do Ridjanêro, que me diz, por e-mail que, às vezes, a gente não quer mudar (de emprego? de cidade? de marido?), mas ver tudo isso de outro jeito. "Com outros olhos. De outra posição, quem sabe."

"Às vezes o que muda não é a vida da gente, mas a nossa maneira de encarar as coisas. (...)... autoconhecimento incomoda, dói, enche o saco você descobrir como é de verdade, descobrir que você faz o que você condena. Mas isso passa uma hora, hehe. Acredite."

Eu acredito Lia. Acredito. E agradeço.

# . por Joelma Terto .  3 Comentários     

segunda-feira, março 08, 2010

LEGALIZE




Porque aderi ao movimento "LEGALIZE O BOBE", criado por La Reina Madre.

E porque não tenho nada melhor pra dizer. Nem pra mostrar.

# . por Joelma Terto .  4 Comentários     

domingo, fevereiro 07, 2010

Neuza`s
Os japoneses são os melhores. A descoberta da semana são as Yazimas: Margaret, Naomi e Strawberry Camellia Yazima, mãe e filhas, buscando a fama em Las Vegas. Simplesmente impagáveis.

Veja o vídeo, aprenda a coreografia:





Aprenda a letra, cante junto:

"Wow wow wow wow...

Tooku kara kiteimasu
NEVADA kara kiteimasu

PASUPOOTO chanto arimasu
Sukoshi nara YEN mo motetemasu
Osushi ga mawatte odorokimashita

Minna SHINSETSU kiitemasu
KAMINARIMAN wa chikai desu ka?
Kotoba ga tsuujizu niramaremashita

Dakedo...
MI KA TA
SAMURAI wa dochira de aemasu ka?
MI KA TA
Yamato nadeshiko juu shichi henge

Kono kuni ni YUME ga
Aru no desu ne?
PAO! PAO! PAO! PAO!
PAO! PAO! PAO! PAO!

KATAKOTO de So sorry
NIHONGO wa MUZUI desu

O DAIPA megami arimashita
AKIHABARA ni mo ikimashita na
KYUU DIIPANII otoko no ko deshita

Seijika uso wo tsukimasen
Sensei wa seito mamorimasu
Zeikin muda ni wa tsukawanai desu

Dakara...
MI KA TA
Doko kara yoru wa akete kimasu ka?
MI KA TA
RYOOMA wa naite yashimasen ka?

Kono kuni ni hokori
Aru no desu ne?
PAO! PAO! PAO! PAO!
PAO! PAO! PAO! PAO!

Wow wow wow wow...

NYUUSU KYASUTAA wa konya mo
Shizumi kittemasu kurai kao
Miteite tottemo kawaisou desu

Dakedo...
MI KA TA
BUSHIDOU wa shuto kousoku desu ka?
MI KA TA
KABUKIZA wa kabuki chou ni wa nai

MISO SUUPU no
Gu wa toufu to WAKAME
Natto wa totemo
NEBADA... SHABADA... DABADA

MI KA TA
Sore demo WATASHItachi uta imasu
MI KA TA
Anata wo shinjite odorimasu

Sore demo NIHON ga
Aishitemasu
PAO! PAO! PAO! PAO!
PAO! PAO! PAO! PAO!
"


Fique fã de Yazima Beauty Salon.

Paquita`s Syndrome


...

Tou em Texas-vel, até sexta. Piada velha, né? Eu sei. Vida looping. Déjà vu.

# . por Joelma Terto .  9 Comentários     

quinta-feira, fevereiro 04, 2010

like a caipi
Na onda do verão - e para dar um destino digno ao Charleston comprado há um ano na fronteira - criei meu primeiro drink. Jojo Viu a Nuvem se chama. Ou: quase uma caipirinha.

Jojo Viu a Nuvem

Ingredientes:
- suco de meio lemonccelo
- meia dose de licor Charleston
- 1 dose e meia de vodka
- gelo

Misture tudo e cacoalhe em uma coqueteleira. Sirva em copo alto. Use um canudinho.

Experimentem! Estou só esperando começar a safra de bergamota (tangerina para os não iniciados) pra fazer o Jojo nas Alturas.
Aguardem.

...

Falando em trago, isso aqui é bem legalzinho - pela animação.

...

Mas, e o calor, heim?

# . por Joelma Terto .  2 Comentários     

domingo, janeiro 31, 2010

Uruguay facts
A Jojo na Ciudad Vieja, Montevideo
foto de 77 de Arrabéus


* Os uruguaios não se presenteiam no Natal, mas no Dia de Reyes, 6 de janeiro. Algum sentido faz.

* No último dia do ano, na capital Montevideo, as pessoas têm o costume de picotar todos os calendários e jogar os pedacinhos pela janela. Um mês depois, ainda tem pedaço de calendário picado pela cidade toda. No bairro histórico Ciudad Vieja eles jogam água pela janela. Nas pessoas. E os jovens se reúnem nas imediações do Mercado del Puerto pra fazer guerrinha de cidra. Praticamente um carnaval de Olinda.

* Em qualquer boteco pé-sujo no Uruguai se come a melhor e mais macia carne do mundo. Os uruguaios põem Comfort no pasto pras carnes dos boizinhos ficarem assim, tão macia.

* Esqueçam a parrillada, um prato típico no Uruguai é o revuelo gramajo: uma gororoba deliciosa e calórica, feita com batatas, cebola, presunto, ovo e creme de leite - tudo junto e misturado. É uma receita argentina, pra falar a verdade.

* 77 e eu amamos o Uruguay e queremos ir morar lá.

Com exceção do Comfort no pasto, o resto é tudo verdade. E o post tardio serve também pra dizer, tardiamente, que 88 das 1300 fotos do Projecto Dulce de Leche estão em um albinho, lá no Flickr.

---

Tem sistema novo de cometários aí embaixo, né? Só lembrando.

# . por Joelma Terto .  14 Comentários     

sexta-feira, janeiro 15, 2010

e.g.o.
"Nada mais natural que ir perdendo coisas pelo caminho enquanto se pratica o desapego" (77 de Arrabéus)

Dentro do contexto em que foi proferida, essa frase aí de cima, dita pelo 77, foi das coisas mais geniais que ouvi nos últimos tempos. Sabe assim? Mas eu prefiro não contextualizar, sacar fora, e jogar aqui, assim, desse jeito, fora de propósito e de sentido. Só pra ficar o registro e eu não esquecer de me lembrar dela.

...

ainda estamos meio off.
ainda estmos em óperas, trabalhando sempre sempre sempre para melhor atender.
ainda teremos comentários de novo.


update: comentários novos, funcinoando. Agora em novo lugar. Aqui embaixo, ó! Foram 7 anos de comentários perdidos do Haloscan, mas nada mais natural, também, já que o assunto aqui é o desapego.

# . por Joelma Terto .  8 Comentários     

segunda-feira, janeiro 11, 2010

de blogs, de destinos
Eu também adoro essa história da zebra - que foi da tia da Priscila, que eu achei no lixo, que trouxe pra casa, que restaurei. E que, depois de anos, eu conheci a Pri - através do blogs! - e descobrimos, juntas, a incrível coincidência. Então a historinha está publicada na Zero Hora Menino Deus, com texto muito bom do André Mags.

clique aqui para ler a matéria na versão online


...

Tô voltando. Degavarinho. Tô voltando.

...

Pessoas, os comentários subiram no telhado. Depois de 7 anos usando o Haloscan, de graça, agora eles resolveram cobrar o serviço. Um pouquinho de paciência enquanto resolvo a situação. Logo mais tem sistema de comentários funcionando de novo.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

quarta-feira, dezembro 30, 2009

da virada


2010 vai ser o ano do desapego.
Então eu entro no coro e grito bem alto: QUE VENHA!

...

Meu MUITO OBRIGADA a todos vocês, amigos e amigas mais que queridos, que estão comigo, aqui, ali, acolá, sempre sempre sempre.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

terça-feira, dezembro 08, 2009

de vento
"Tornamo-nos escravos de quem fomos no passado. Se ontem dissemos que faríamos tal coisa, como hoje mudar? Se ontem elegemos o sorvete de pistache como o nosso favorito, como hoje desejar o sorvete de sambayon? Se ontem fiz ou pensei tal coisa, como posso hoje fazer ou pensar diferente? E se percebemos em nós a tendência à multiplicidade? Uma vontade, hoje, agora, de fazer, pensar e sentir diferente. Mas não! E E nossa coerência? Estabilidade? O que os outros vão pensar de nossa saúde mental? Dirão que não sabemos o que queremos! Dirão que somos birutas como os marcadores de vento, loucos como o tempo ou, simplesmente, pouco confiáveis, já que mudamos sempre de opinião. Dirão mesmo isso? Seremos nós o assunto dos outros? Não se iluda: temos tão menos importância do que gostaríamos!"

Primeiro vieram elas, com esse trecho aí em cima, do livro "A vida como ela é para cada um de nós".

Depois, vem Lila Rizzon falando sobre mudanças e a necessidade de adaptar-se. (E vocês não sabem quão fã de Lila Rizzon eu sou. Ah, sou.)

E logo depois de tudo isso, veio Raulzito (na pelo do Julinho Andrade), me lembrar que é preferível ser "essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo".

E tudo o que veio depois, simplesmente, não fazia mais sentido, nem tinha tanta importância:

O cocô de cavalo que é você se dar conta que o tempo tá passando e você não fez nada relevante da/na sua vida. Que não criou nada interessante, não teve nenhuma ideia brilhante, não escreveu um livro que virou best seller, não foi reconhecida, não ganhou dinheiro, não viu Paris? Não tem importância.

A coxa grossa roçando na outra coxa, a gorda, em dia de calor? Não tem importância.

Eu, que já pedi constância, quero outra coisa. Uma coisa ao contrário.Quero dar (ainda) mais risada de mim mesma, não me dar tanta importância e me reinventar. Mudar e se adpatar. Amar e perdoar. E vice-versa.

# . por Joelma Terto .  2 Comentários     

segunda-feira, novembro 30, 2009

arde, mas sara
Cena linda e preferida de um dos filmes mais-mais de todos os tempos: "O exército de Brancaleone". - ATENÇÃO, contém SPOILER, três minutos e treze segundos. Sem legendas:



da série Adoro! a morte do vecchio Abacuc, com aquele pequeno pseudo exército tosco, maltrapilho, atrapalhado tentando fazer da partida do judeu (que foi convertido/batizado pelo messias Zenone numa das cenas mais engraçadas) uma coisa mais... suave?

...

é preciso ter paixão.

é preciso ser mais leve.

é preciso considerar a palavra considerar.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

quinta-feira, novembro 26, 2009

dura lex, sede lex
A coisa toda começa a mudar de figura quando a gente vê alguém que a gente ama muito sofrendo mais do que a gente (pensa que está sofrendo).
Mesmo com o sentimento filho-de-uma-puta de impotência, de (achar) não poder, de querer botar no colo e não ter braços, muda.
Garanto que muda.

...

Não gostar do Diogo Mainardi (pode ser o Juremir, o Dunga, o Bob Fields, o Coffy Anan, o Lula Lá...) é uma coisa. Odiar e julgar demasiado quem gosta do Diogo Mainardi, do Juremir, do Dunga, do Bob Fields, do Coffy Anan e do Lula Lá, só por gostar do Diogo Mainardi, do Juremir, do Dunga, do Bob Fields, do Coffy Anan e do presidente, é outra. Completamente diferente. Mas isso é, obviamente, só um exemplo torto.

...

Eu já pedi muita coisa (a Deus? ao mundo? a essa energia cósmica que rege o universo?). Eu já pedi paciência. Já pedi perseverança. Já pedi constância e, mais ultimamente, destreza com a mão direita pra passar o rímel no olho sem borrar muito. Hoje eu peço mais tolerância. Dá-me (mais) tolerância, senhor? Eu peço-grito-rezo-xingo bem alto, só que internamente, todo dia quando levanto da cama. É difícil. Especialmente em relação aos emos, com suas lágrimas falsas de kajal e suas garrafas de vinho que emporcalham a rua nos domingos à noite, no caminho de casa.
Mas eu peço. E tento. Juro que tento.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

domingo, novembro 22, 2009

as diferenças
Há mais de seis anos tenho a alegria de conviver diariamente com a Lelei Teixeira na Pauta Assessoria - minha chefe, jornalista, sócia-diretora da firma, talentosa, competente. Descobrindo e respeitando as diferenças. Lelei tem 1m10cm de altura. Hoje, no caderno Donna da Zero Hora, a coluna Estilo Próprio é sobre Lelei e sua irmã, Marlene, doutora, professora da pós graduação em linguística da Unisisnos, que é um tiquinho mais alta - 1m11cm - mostrando suas histórias num mundo de pessoas grandes.

Matéria linda e delicada da Fernanda Zaffari.


Clique aqui pra ler na íntegra, na versão online do jornal


# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

terça-feira, novembro 17, 2009

um punhado de azeitonas mal picadas
Às vezes eu acho que tá tudo errado. Outras vezes, não. E vice-versa.
Sucessivamente.
Ad infinitum.

Nada que um bom frizzante não resolva. Ou ir pra um lugar qualquer - o escritório, o parque, a festa - ouvindo A Mulher Gigante no volume máximo.

A Mulher Gigante não sabe o que é distância / Ela sai do Brasil e vai parar na Conchinchina / É uma turista essa Mulher Gigante / É uma turista essa Mulher Gigante" (Cuidado que Mancha)
- dorroviária de Detroit/RS -


# . por Joelma Terto .  1 Comentários     

sexta-feira, novembro 06, 2009

A batatinha
é quase um conto uma fábula. por 77 de Arrabéus, meu marido:

"olha só, o mecânico ligou agora, sobre o carro.
que segundo ele IS ALIVE AND WELL.
era só A BATATINHA.

manja a batatinha?
pois é, nem eu. mas uma coisa com nome de batatinha nuca pode ser nada muito grave.
coisas graves tem nomes mais sérios, tipo cursor do refluxo do óleo, alternador, módulo da injeção...

a pressão do óleo tá ÓTIMA me disse o mecânico.
olha só:
- ...e a pressão foi a 6bar na lenta.
- sei. e isso é bom né??
- é ÓTIMO Sete Sete.
- puxa vida Marcos.

ADORO nosso carro.
agora só vendo por 30 conto.
"

diz que com a mão de obra, batatinha, troca do óleo e pá vai sair só 252 reas.

deus seja louvado. amém

# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

sexta-feira, outubro 30, 2009

DIGA TREINTA Y TRES
deu um clique, aqui, na minha cabeça: amanhã (ou hoje ou ontem ou) começa o inferno astral.
daqui a um mês (ou mais ou menos ou) eu faço 33.
é estranho pra burro fazer 33 quando se é peter pan.
é estranho pra burro fazer qualquer idade, uma atrás da outra, quando se é peter pan e não se tem.
deu um clique aqui na minha cabeça: algo sobre previdência e previsibilidades.
é estranho pra burro pensar na vida, assim, quando não se tem mais nada de bom (ou útil ou bonito ou) pra se pensar.

"é número bonito. idade de cristo. orientales.
cabalístico, que nem 77.
que aliás, somando, dá 100.
não, dá 110, mas quase todo mundo se confunde."
(77 de Arrabéus, mui querido, por e-mail)

tinha um muro no meio do caminho


...

- PIDEITE -
A trilha sonora do post é Belchior, ovbiamen-tê. Aumentem o som e cantem comigo, muchachos:



"Presentemente eu posso me considerar um sujeito de sorte
Porque apesar de muito moço me sinto são e salvo e forte"
(Belchior em "Sujeito de sorte")

# . por Joelma Terto .  0 Comentários     

quinta-feira, outubro 22, 2009

abelha, carneirinho
E Ana Prada? Minha nova musa musical, no repeat sempre sempre sempre.

Porque ela me faz chorar com - sua doçura valente e - seu acento uruguaio:



Mais Ana Prada por aqui: www.myspace.com/anaprada

...

Bonus track:

"Acabou chorare no meio do mundo
Respirei eu fundo, foi-se tudo pra escanteio
Vi o sapo na lagoa, entre nessa que é boa
Fiz zunzum e pronto
Fiz zum zum e pronto
Fiz zum zum"

# . por Joelma Terto .  0 Comentários