terça-feira, junho 23, 2009

butterfly
Ah, eu esqueci de botar no post abaixo o link que Denize me mandou. Outro vídeo-entrevista de Narcisa, para o site da Glorinha Kalil. Ela, Narcisa, anuncia: "chique é ser simples e confortável" e dá aquele sorriso sincero e enigmático (sic!) acompanhado de um olhar matador e vesgo pra câmera. Eu caí no chão, me quebrei toda e me juntei depois. Tem também outra parte divertida quando ela diz que é PRESS INTERNACIONAL e ADEVOGADA formada pela OAB. Mas a melhor parte é quando ela é indagada: "Narcisa, qual a sua musa fashion?", ao que Narcisa responde "Madonna. E o Dalai Lama". Duvidou? Vá clicar, vá. Se você não tiver problema com vergonha alheia, vai se divertir tanto quanto eu. Vá, vá.

...

Esses dias tocou CHARME DO MUNDO, de Marina (que no meu tempo não era Lima) no rádio. Eu achei tão lindo, tão lindo, tão lindo. Me senti tão xovem, tão xovem, tão xovem só de ouvir aquilo. Então eu pensei assim: se é pra eu ter um parâmetro juvenilis, daqui pra frente, é Marina cantando CHARME. E o clip oitentista-bonachão é uótimo:



Eu tenho febre, eu sei / É um fogo leve, que eu peguei
Do mar ou de amar, não sei / Mas deve ser da idade.
Acho que o mundo faz charme / E que ele sabe como encantar


:~

...

Esse é um post inédito. É um post postado diretamente do quarto 818 do Hospital Mãe de Deus. Porque a dor é pública, cara é feita pra bater e eu já escancarei a intimidade no tuíte mesmo - e sempre escancarei aqui, sem nenhum pudor. O causo é que: lembram das dores aquelas? as que me levaram, duas vezes, à emergência, uivando e gritando e chorando? então nós fomos investigar e já temos um diagnóstico: eu tive uma embolia pulmonar. Estou no hospital, internada, desde sexta-feira, sendo bem cuidada, tratada, medicada e assistida. Se eu fosse contar todas as peripércias que passei desde sexta, ia dar um post daqueles, cheio de luxo, lixo hospitalar, poder, glória e unha encravada. Mas essas injeções de anticoagulante na barriga dão uma preguiça, uma sonolência, um tédio e uma vontade de fazer nada... Fato é que estou aqui: com vista pro Guaíba, tv a cabo, ar condicionado, wireless, visita liberada, dieta LIVRE e sem previsão de alta. Estou bem. Tentando manter o bom humor - ainda não mordi nenhum enfermeiro - e exercitando ao máximo a palavra "paciente".

Animación médica - nada elucidativa - que representa la formación de una embolia pulmonar.Um oferecimiento: 77 del Arrabeus:



Quando não estou recebendo visitas, nem tuitando, nem mandando e-mails pras pessoas e aproveitando ao máximo o wi-fi do hospital, eu me agarro no Caio F. Estou relendo o Pequenas Epifanias e o que o Caio me diz tem um sentido novo, um sentido outro. Vez em quando eu levanto, vou até a minha janela, olho o Guaibão e penso que este é o Menino Deus do Caio. Pensar isso me conforta. Estar com o Caio F. me conforta.

...

Ah, sábado eu e o monomulti estivemos em matéria de capa do Caderno B da Gazeta de Alagoas em matéria sobre blogs assinada por Janayna Ávila. Tenho o pdf da matéria, depois coloco aqui, hu?

...

(...) Que algo sempre nos falta - o que chamamos de Deus, o que chamamos de amor, saúde, dinheiro, esperança ou paz. Sentir sede, faz parte. E atormenta" (Caio Fernando Abreu na crônica Existe sempre alguma coisa ausente)

# . por Joelma Terto .  0 Comentários