segunda-feira, abril 27, 2009

casamento
Era uma dessas ocasiões, reuniões de família, onde você encontra pessoas que raramente encontra. Só nessas ocasiões, raras, reuniões de família. Eu lembrava da Fulana bem diferente, muito mais magra, essa coisa toda. Quando saíram perguntei pro 77: "ela não costumava ser 'assim', antes dos filhos, né?".

Não, ela não era assim antes.

Em casa, eu já tinha até esquecido do ocorrido, 77 me pergunta: "tu me promete uma coisa?"

Eu; "o que?"

"Promete?"

Estúpida, aquiesci.

"Prometo. O que?"

"Nunca ficar igual à Fulana."

Pensei um pouco e respondi:

"Olha... farei o possível."

Mais um pouquinho:

"Setêeee?"

"Oi"

"Promete uma coisa?"

"O que?"

"Promete?"

"Tá prometo, o que?"

"Continuar me amando mesmo se eu ficar igual à Fulana?"

"Olha... farei o possível."

Bem feito.

E eu aqui achando que tava preparada pra crise dos sete anos em 2010.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários