quinta-feira, fevereiro 12, 2009

zero quatro cinco
eu me amarrei no seu coração, Daniel
ai gurias, ele é um fofo, mas é meio paradão...


Em 30 de janeiro de 2008 Joelma escreveu aqui nesse mesmo monomulti: "eu pago os meus pecados em feira agrícola com vento, frio, chuva e lama". Vocês não queiram saber o que eu tenho passado nessa semana que dura séculos e não acaba nunca. Ontem mesmo chovia tanto, ventava tanto, relampeava, trovejava e fazia CABUM, aquele estande sacudia todinho e eu estatelada, com meus zóião e cara de lôca, achando que ia vir um tornado e levar tudo embora pelos ares que nem aquele filme Twist, sabem? Medo, delírio, pânico, terror e cagaço no oeste paranaense.

...

Ah, o oeste paranaense. O que vocês não sabem é que eu tenho um programa de TV preferido no oeste paranaense e que eu descobri que eu não preciso mais vir até o oeste paranaense pra ver o meu programa de TV preferido do oeste paranaense porque ele agora está na interné-tê. Até ontem tava tudo no ar, eu juro, mas eu acho que foi a chuva, o vento, o relâmpago e a quantidade absurda de raios que fez o site escafeder-se no limbo tecnológico. Mas ele volta, ah volta! E eu garanto que vocês também vão gostar do meu meu programa de TV preferido do oeste paranaense que se auto define como um programa absoluto, versátil, divertido (ô) e muito, muito chic. Como seu apresentador, o moço loiro que assina essa coluna aqui ó.

...

Eis que agora eu também tenho uma revista preferida no oeste paranaense cujo editorial começa assim: "Hoje em dia, com tantos problemas enfrentados de ordem emocional, familiar, social, financeiro, procuramos por profissionais competentes que possam nos mostrar uma luz no fim do túnel, uma cor diferente no arco-íris das nossas vidas..." e termina com "Boa sorte e um beijo no coração". Meu zóinhos (outrora zóiões) brilharam. A primeira matéra, sobre Etiqueta social no Natal (é uma edição de dezembro), manda, entre as seis sugestões com relação a cartões de natal: "o correto é remetê-lo a partir do dia primeiro de dezembro, data em que, teoricamente, entra em vigor o espírito natalino". Fantastic! Depois vem uma matéria sobre varizes, um monte de artigos de auto-ajuda, alguns apócrifos da internet, um artigo sobre sexo, um artigo sobre drogas, um artigo sobre motivação, um artigo sobre astrologia, um artigo sobre auto-controle, mais apócrifos, um artigo do Lair Ribeiro sobre qualquer coisa, DOIS artigos sobre relacionamento e, finalmente, um artigo sobre "a nova identidade masculina" assinado por um indivído que "trabalha com linguagem e expressão corporal, bioenergética, aconselhamentno, respiração, técnicas de auto-conhecimento e meditação". Eu não li o artigo, só passei os zôios bem no exato parágrafo que diz que "este novo homem também já aprendeu que pode chorar". Tá bom pá tu, tatu? Depois vem uma matéria sobre um campeonato de motocross - e um anúncio do campeonato de motocross - e, então, as colunas sociais onde os indivídos mais retratados são os próprios colunistas. O apresentador do meu programa de TV preferido no oeste paranaense aparece algumas vezes. Luxo.

Ah, eu falei que antes da primeira matéria, aquela sobre etiqueta social no natal, tem uma página inteira com duas piadas velhas, uma sobre advogados e outra sobre... advogados? GAMEI.

...

Sabem, eu não contei pra vocês, mas é com tudo isso que eu me divirto nas horas vagas, em X-Vel City.

...

Aí ontem, quando passou o dilúvio, o povo do trabalho me convenceu a ir num restaurante chamando O Rei da Codorna.

Em nome da diversão, eu fui.

Zêntchi, cês precisavam estar lá pra ver: era tudo cenográfico! Eles tinham codornas gigantes de isopor a la Joãozinho Trinta decorando o ambiente, as paredes eram de madeira cenográfica e pedra cenográfica (era uma pintura emulando madeira e pedra, tão ligados?), tinha uma adega com um parreiral cenográfico e até um bonsai (!) cenográfico! Eu fiquei com nojinha e pena (ó ó, duplo sentido! duplo sentido!) das bichinhas e quis comer não - vai que eles me trazem uma CODORNA FAKE?

Pedi um frango a passarinho.

...

O martírio termina amanhã, mas o pior eu disse não a vocês. É que eu descobri que volto de TECO-TECO, numa SEXTA-FEIRA, 13.

77, por e-mail, pra me tranquilizar:

"esses teco-teco são legais porque não tem muita tecnologia pra dar pau ou informação errada."

Deus abeçoe.

...

MÚSICA ACIDENTAL:

"Passarinho quer dançar
O rabicho balançar
Porque acaba de nascer
Tchu tchu tchu tchu...
"

# . por Joelma Terto .  0 Comentários