sexta-feira, fevereiro 20, 2009

dos partires
pinto ou não pinto?
autorretrato de sextafêra.
- de folga. ah, casa. a luz que entra pela manhã. adoro! -


O futon - cujo estrado é obra (projeto e execução) de 77 - é uma das novidades decorativas do Chamego Center. Mas ainda não é hora de falar disso. Ainda não. Porque amanhã é carnaval e há três mil quilômetros daqui meu irmão se prepara para migrar, que nem eu fiz há dez anos atrás, e meu coração se divide entre a alegria, a expectativa e o aperto. Meu irmãozinho de 25 anos, produtor de publicidade e cinema, vai pro Rio de Xaneiro. E eu, que sei o que é partir, fico daqui, só torcendo. Muito.

Enquanto ele arruma a mala - e a mudança - de lá, eu arrumo a malinha daqui, tento botar a vida e a casa em ordem. Vamos lá, 77 e eu, passar o que uns chamam de carnaval em Cambará do Sul - Parque Nacional dos Aparados da Serra, os cânios gaúchos, aquela coisa natural toda. Na volta eu não desfaço nem as necessaires porque já vou quase direto pra capitar, jogar as tranças ni Sum Paulo, encontrar Adelaide e ver Denize, comprar porcariazinha japa na Liberdade, conferir as novidades da Gift Fair. Não se enganem: é trabalho. E, logo mais adiante, só mudo o figurino e desembarco direto em Don't Touch Me City, festa nacional da cuca com linguiça (primeiro ano sem trema), essa coisa toda que você, leitor amigo antigo, já conhece.

É, eu sei: eu também tenho essa sensação que minha vida é um eterno dia da marmota. E já tá começando a ficar sem graça...

Tá, agora eu vou ali terminar de arrumar a mala. A calmaria que precede a tempestade.

...

"A terra é um rio". ODE. Ando Wado.

Tome:



...

Sambe de que lado quiser
.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários