quinta-feira, janeiro 22, 2009

a big plastic word
Eu já disse pra vocês que, contrariando todas as expectativas e a lógica universal, agora eu tenho uma bicicleta?

E que eu saio por aí com ela, tipo, ãhn, pedalando?

Desbravando os parques, calçadas e ruas esburacadas de portalegre?

An-rã.

(O que a gente não faz por amor...)

...

Levando a farofa, a galinha e a vitrolinha, nós vamos para a praia (sic!), ver a Valentina e entrar no mar-nescau de Capão da Canoa. O que a gente não faz por amor, parte dois.

O fato e a versão do fato.

Ao telefone:

77: "Valentina, sábado eu e a Jojo vamos aí na praia te ver. Aí, se estiver fazendo sol, vamos todos entrar no mar: eu, você, a Jojô e a mamãe. Tá. Combinado. O que? Tu quer falar com a Jojô? Tá eu vou passar pra ela."

Valentina: "Alô, Jojô? O Séti me disse que segunda ele vem aqui e vamos entrar no mar: eu, o Séti e a minha mãe".

Desliguei e fui chorar no colinho de Freud.

...

Sonho de consumo besta da semana: uma PLANONDA.

minha bici do tamanho do meu eu, eu e o Guaibão
por 77 - clique para ampliar


"Seu nome era eu
Eu era malandro
Eu era santo
Corria de lá
Olhava pro outro
Olha pra mim
E se lembrou de mim
E achou graça da desgraça
Me chamo eu no canto escuro de mim
Eu olhar pra si"
(a sabedoria de bonsucesso samba clube em forma de versos de canção)

# . por Joelma Terto .  0 Comentários