terça-feira, maio 20, 2008

tapis rouge
Graças à arquiteta Kelen e ao Google Maps, fomos parar, esse final de semana, em Brochier, uma simpática cidade de colonização francesa e uns 4 mil habitantes a cerca de 100 km de Porto Alegre, com direito a passagem pela encantadoramente florida Pareci Novo, "pouso" em Montenegro e uma visita às cascatas de Maratá. A viagem deu início oficial às nossas desejadas aventuras pelo interior do gaúcho. Foi bem bacana e instrutivo. Descobrimos, por exemplo, que Brochier (pronuncia-se Brochíêr, embora hajam controvérsias) é a capital do carvão vegetal, o que comprova minha teoria que toda e qualquer localidade gaúcha se acha no direito de se auto-denominar capital de qualquer coisa. Seu mascote é um bizarro boneco gigante chamado Carvozito, cuja cara é um forno (!) e que carrega na mão direita uma caneca de chopp. Da Brahma. Seu hino transforma os enfants-de-la-patrie-irmãos-fundadores, Jean Honoré e August, em João e Augusto, além de me fazer crer que a pronúncia correta seja Brochír, já que, na quarta estrofe, o nome da cidade rima com "porvir". Mas isso tudo são só tolices. O passeio foi realmente bem ótimo.


Brochier, Brochier/RS


Não conhecemos Nova Paris, contudo.

...

Alegría! Finalmente 77 e eu fomos ver o Cirque du Soleil, depois de quase um ano da compra dos ingressos. De chorar de lindo. Pra alguém que foi apaixonada, quando criança, pelo circo tradicional, esse novo conceito de fazer circo é belo por demais. Tá tudo lá: seus palhaços, seus bufões, seus artistas. Seus ícones revisitados. Com técnica apurada, figurino luxuoso, puro encantamento. Com uma trilha sonora primorosa e emocionante executada ao vivo. Aquela gente que tem borracha ao invés de ossos no corpo, que voa em câmera lenta. Aquelas moças de voz tão doce de canto de sereia... Seguramente, o espetáculo mais bonito que já assisti.

Definir a trupe canadense em uma palavra? Delicadeza. De encher de adjetivos. De ficar de olhos brilhantes grudados em cada detalhe. De aplaudir de pé. Quem tiver oportunidade, que não perca.

...

Vocês gostaram das buscas do post passado? E vocês pensaram que já tinham visto de tudo nessas suas vidas? Então sentem nas suas cadeiras, apertem bem os seus cintos e tomem ISSO bem nos meios dessas suas fuças. Depois não digam que eu não avisei.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários