quarta-feira, março 19, 2008

eu francisco e isabel
Eu chorei porque perdi a Takaizinha Fernanda cantando semana passada no Bourbom. Porque eu voltava de Não-Me-Toque bem na hora do shô e até agora o disco lindo da moça-pato-fu não sai do repeat do iPobre. Na verdade não sai do repeat até o 77 conseguir consertar o meu tocador de mp3 que foi desmantelado por um brutamontes lá na feira agro-rural e agora não dá pra botar (nem tirar) nenhuma musiquinha (de) dentro dele.

Como deus é bom, amanhã tem concerto da Orquestra Imperial e eu, pessoa bem relacionada que sou, lá estarei, toda-linda-toda-tuda, suando em bicas, no Pinicão, mas na área vip (hello, "área vip" no Pinicão: isso é uma piada, ouquei?). Dizem que o Amarante não vem. Talvez deus não seja assim tão bom pra mim. Mas só eu e ele sabemos o quanto esperei por esse momento de chakundum.

Então eu vou fazer compras no seu Zaffari e pego um folhetinho com a agenda de abril da Opus: Céu, Vanessa da Mata, Maria Rita. Quando tô quase vomitando, viro o folhetinho e tá bem ali: Aznavour, Charles, o pró-pri-ô, 29 de abril, no Teatro do Sesi. Não sei se começo a acreditar de novo em deus ou vou chorar num cantinho quando me dou conta, finalmente, que os ingressos variam de 200 a 400 reais brasileiros. Ok, eu não sou tão bem relacionanda assim. E preciso lembrar de anotar na caderneta: começar a ganhar em euros. Às armas cidadãos!

...

"Três Marias, Sete Estrelas, Constelações dos meus cabelos. No céu, no céu, no céu
Com o meu baião estarei desenhando um outro céu onde brilhem os olhos seus"
(poesia em estado bruto de Capinan e Robertinho do Recife na doce voz de Fernanda Takai)

# . por Joelma Terto .  0 Comentários