quinta-feira, julho 12, 2007

impossível ser mais sensível que eu
Um dia, eu e 77 na praça de alimentação do shopping Iguatemi, bem na semana daquele evento Donna Fashion. Passa por nós um loirão de boné e, logo atrás, uma criatura morena, mirradinha. Cutuquei o 77: "tá vendo esses dois? o da frente é o Alexandre Herchcovitch e o de trás é o Johnny Luxo". Expliquei pro numérico que Mr. Herchco (não confundir com Mr. Eko) tem loja no shopping e que, provavelmente, naquele dia teria desfile da coleção dele. Tentei contextualizar o Johnny Luxo.

Meses se passaram e esse dias, no supermercado, passa por nós um eminho raquítico, todo-fashion, acompanhado de emão loiro. Ao ver os sujeitos, 77, impassível, me larga: "Johnny Miséria", assim, no mais. Eu tive um ataque de riso no corredor dos molhos prontos pra massa. E sim, contar essa história foi só um pretexto para linkar o vídeo clipe divertido do You Tube, logo ali em cima, que me fez rir tanto quanto as palavras do Sete no supermercado.

...

Se eu encontro um animal desses, dou na cabeça com gato morto. Ah, dou.

...

Corredor polar.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários