segunda-feira, abril 02, 2007

botei meu sapato branco e fui sambar na lama
Show do Chico sábado à noite. Eu só chorei duas vezes. A primeira foi quando ele entrou, todo lindo todo tudo, cantando a tal música do Lamartine Babo, porque, afinal de contas, foram 30 anos esperando por aquele momento. A segunda vez foi em Palavra de Mulher, no exato momento em que ele canta aquele verso que diz "a escada, a escada, a escada...", porque eu acho esse verso lindo e exagerado e desesperado e fora de si. Mas, vos digo, foi um chorinho baixinho, contido, de lagriminha rolante só, sem soluço, sem espamos. Muito diferente, porém, da mocinha de 17 anos vestida de preto na poltrona bem detrás, que se lavava em prantos enquanto cantava, alto, Eu te amo. Gentinha óbvia, meu deus.

(Vocês sabiam que existe um cantinho no inferno especialmente destinado a quem bate palminhas acompanhando música em shows? Sabiam?)

...

Assim como Caléssico, também vi, abismada, o episódio 14 de Lost. Aí no dia seguinte, ao acordar, pulei em cima de marido, ainda na cama, implorando: "compra diamantes pra mim, compra? compra? me dá? me dá?". Ao que o infame responde: "serve diesposa, que é mais baratinho?". Traste.

...

Não vi ainda, mas me contaram: Ticcinha e Livinha na revista Cláudia desse mês. Só meu dão orgulho essas gurias.

...

Que venha abril com seus outonos.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários