sexta-feira, fevereiro 09, 2007

"Genial, genial, genial"
Se eu pudesse ter outro nome seria Carolina ou Luíza ou Cecília ou Lola ou Silvia ou qualquer um cantado pelo Chico. *suspiro*

...

Eu vou confessar uma coisa: eu não consigo entender comerciais de carro. Quando me explicam, não gosto. Mas eu amo, AMO, a campanha da Ford, dos bichos, sabem? Aquele da zebra que diz "Hello, a gente não pode. A gente é bicho, baby". Sim, eu sou absolutamente doida por essa campanha promocional, que ganhou continuação agora. Eu deixo a tv ligada só pra ver e corro pra frente, babando e rolando de rir, todas as vezes, por mais que eu já saiba o texto de cor, salteado e de trás pra diante. É retardado, eu sei. Mas eu adoro. Muito.

...

As bolas do nosso banheiro deram cria. Pelo mundo, inclusive.

...

Gente emocionalmente vulnerável & confusa.

...

Desmonto acampamento em X-vel amanhã hoje e parto para Curitiba. 77 me encontra lá no sábado. E temos um baita motivo pra ficar ansiosos, afinal vamos conhecer, finalmente, a CRAW, mais uma dessas pessoas maravilhosas que entrou na minha/nossa vida(s) por causa dos blogs. Comentadora assídua dos Estranhos Links (no tempo que o EL era atualizado assiduamente), abuela superiora do fã-clube virtual e convento de doidas Estranhas Devotas (do qual sou sócia-fundadora), vó do Apollo, amiga do Thadeu.

Lembro quando alguém comentou: "cuidado com esse CRAW" e ela respondeu: "é a CRAW, de CRAWdinha", encantei-me com aquela critura espirituosa, que era só um nome numa caixinha de comentários de um blog alheio. Depois veio a lista, restritíssima: só eu, ela, Sharon, a outra curitibana, Elena, a Estranhete, Ale Hanks, que sumiu no mundo se avisar, e, depois, a Erika. Tudo ermãs devotosas de Ôný, comedoras de brócolis e adoradoras do majestoso ornitorrinco laranja, símbolo máximo da estranhice.

Infelizmente não vamos conhecer a Sharon, dona da Quitanda, que agora se debandou pras bandas de Patópolis. Mas sempre haverão oportunidades. E encontros.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários