quarta-feira, outubro 18, 2006

para-mim
Ontem, via Orkut, a Lia disse que é fã do monomulti. Eu pensei "uau!", a Lia, cara! Pôxa vida... Fiquei toda boba e faceira. Aí hoje eu chego no escritório e tem post da Keiko dedicado, todinho ele, a mim, com trilha sonora do Belchior e tudo. (São os efeitos do raio ultra violeta do dia de ontem. Só pode.) Chorei feito criancinha. De felicidade, de emoção, de incredulidade. Porque eu sou incrédula. E mais sentimental do que o Rodrigo Amarante e o Altemar Dutra juntos. Porque às vezes eu sou durona comigo e me saboto e acho dificílimo receber um elogio qualquer. Mas nem era disso que eu queria falar. Eu queria falar - mais uma vez e correndo aquele risco amigo de parecer uma velha coroca que anda em círculos - que esse mundo "blog" só me dá alegria. Mesmo. Das pessoas lindas, amigos-mastercard e do marido todo fofo que hoje existem por causa do monomulti e todos esses blogs aí pendurados do lado direito da tela. E como essas pessoas são tão maravilhosas como parecem ser e da felicidade que é tê-las na minha vida e fazer um pouquinho parte da delas. Na vida de VOCÊS. Me enrolei, né? Tô toda enrolada.

"Ela tem um jeito Broadway. No sentido de um caminho amplo, aberto. Ao som de Tango, misturado com Rayuela" (Keiko)

...

Dúvida cruel da segunda-feira, final do expediente: vou à academia ou ao shopping ?
Dúvida cruel da terça-feira à noite em casa: lavo a louça (não tinha uma só panela limpa naquela cozinha) ou espero a Nilza, que só vem na sexta-feira?
Mal posso esperar pelo fim do dia de hoje. Mal posso.

...

"Meu bem, mas quando a vida nos violentar
Pediremos ao bom Deus que nos ajude
Falaremos para a vida: "Vida, pisa devagar.
Meu coração cuidado é frágil.
Meu coração é como vidro, como um beijo de novela
"
Meu bem, talvez você possa compreender a minha solidão,
O meu som e a minha fúria e essa pressa de viver
E esse jeito de deixar sempre de lado a certeza
E arriscar tudo de novo com paixão
Andar caminho errado pela simples alegria de ser"
(minha pretensa biografia, por Belchior)

# . por Joelma Terto .  0 Comentários