sexta-feira, junho 30, 2006

use preservativo, Che.
frágil como vidro, como um beijo de novela



Da série Media Luna de Miércoles, um pedaço de Buenos Aires por 77 de Arrabéus


Não é só o tédio e a preguiça que têm me impedido de postar. O excesso de atividades, a falta de tempo pra ser super mulher maravilha e fazer tudo aquilo que a gente quer e precisa e, principalmente, uns pobreminha de saúde que acometeram a pessoa fizeram com que eu ficasse ausente a semana toda. Quarta-feira subi a serra pra uma reunião de trabalho e - depois de comer e comprar, as duas melhores coisas pra se fazer na serra gaúcha - voltei com uma dor de cabeça infernal e muita muita dor de estômago, culpa dos remédios para a gastrite, que me deixaram mal até hoje. Tô toda malucha.

Consegui ir na minha homeopata e homeopata é tipo um psico-terapeuta com bolinhas. A minha é ótima e sempre que a vejo me caem algumas fichas. Ontem ela dizia que achava estranho que eu estivesse tão mal, mas que não parecia haver algum fundo emocional forte. A coisa era física mesmo. Ponto. Fiquei pensando no horror que eu sinto de ficar doente e de sentir dor. E esse pavor é tanto que eu acabo somatizando tudo isso quando tenho algum problema e, parece, fico pior do que deveria.

Também pensei no quão velha caquética eu tô ficando. Mas aí é outra história. E segue a bailanta!

...

Eu e 77 estamos compilando um material sobre frases e expressões que a gente só ouve em novelas. Tenho um documento em algum lugar que cita coisas do tipo:

"Fulano é seu filho" ou "Eu sou seu pai!"
e
"Por aqui madame, vou mostrar-lhe seus aposentos", sem ser novela de época.

Vou levar isso a sério, juro, mas lembrei disso agora por causa de Belíssima. Esses dias um personagem falou "Tire seu cavalinho da chuva". Sério: você já viu alguém dizer "tire o seu cavalinho da chuva"? Eu não. E o delegado Gilberto, o chatinho, perfeitinho e justiceiro Marcos Palmeira, dizendo "Ela tomou um vidro de barbitúricos". BARBITÚRICOS? Por favor.

....

Ainda 77, da série melhor comentário. No post abaixo:
"sexta-feira: dia de fazer pão e ficar trancado em casa enquanto esses jovens comunistas consomem drogas nas proximidades do nosso lar."

Sim, tem pãozinho crescendo enquanto faço esse post que é dedicado à Miu que, também no post abaixo, elogiou o monomulti por ser atualizado diariamente. Hohoho.

...
Título incidental inspirado no Coração Selvagem do mestre Belchior. Eu sempre me identifiquei tanto com essa música. Sempre.

Meu bem, mas quando a vida nos violentar
Pediremos ao bom Deus que nos ajude
Falaremos para a vida: "Vida, pisa devagar meu coração cuidado é frágil;
Meu coração é como vidro, como um beijo de novela"


# . por Joelma Terto .  0 Comentários