sábado, junho 17, 2006

marromenos jobs da jo


em primeiro plano, minha coleção de apitos e o cazu verde presente de mimix


A Sabrina - que, não por mero acaso desse destino, é irmã da Karina - me mandou esse artigo do Janer Cristaldo sobre esse negócio que se fala muito ultimamente na mídia, Copa do Mundo, futebol, seleção brasileira sabem? Se você, como bem disse a Diana Corso também em outro artigo para o Jornal Zero Hora, faz parte da FIFA (Federação dos Indiferentes ao Futebol Anônimos), não tá nem aí pra Copa, futebol e seleção brasileira, assim como eu e a Sabrina, vai gostar e se identificar. Eu quase mandei um e-mail pro moço só perguntando: por obséquio, onde eu assino? Reproduzo os dois parágrafos que mais gostei:


Pior é o espetáculo da imprensa. Jornalistas, que por questão de ofício deveriam ser profissionais lúcidos, transformam-se em palhaços abobalhados que só repetem lugares comuns e frases vazias. Passamos a viver em pleno império das nulidades. Os jornais passam a dedicar cadernos inteiros à crônica ... do nada. Rádio e televisão ministram todos os dias doses colossais de anestésicos. Em falta de assunto, criam-se tragédias em torno às bolhas no pé de uma vedete qualquer, à lesão no menisco de outro analfabeto. Saudades dos anos 50. Outro dia, pesquisando jornais da época, tive o grato prazer de constatar que, naqueles dias, futebol não entrava na primeira página dos jornais.

O que me afasta do futebol é o fanatismo do povinho, dizia. Paradoxalmente, nestes dias de copa viro torcedor. Desde que me conheço por gente, em todas as copas, sempre torci... pela derrota do Brasil. Torço especialmente nas oitavas, quando uma derrota significa exclusão da competição. Mas também não me desagrada ver o Brasil goleado em uma semifinal ou final. Assim sendo, ergo minhas preces neste início de campeonato pela vitória da Croácia. Hrvatska, em croata. País com um nome assim bem merece uma vitória.


...


Vocês também não acham o ó do borogodovski a Fátima Bernardes na capa da Nova, da Manequim e da Contigo, tudo na mesma semana? Afe. Vou ali ler minha Casa Cláudia, que não corro esse risco.

...


Feriado chuvoso em casa, metade do dia ouvindo TODOS os QUATRO cds dos amados lindos e idolatrados Los Hermanos, metade vendo nove (NOVE!) episódios da segunda temporada de Lost, com pausa para comer e sair um pouquinho pra visitar os melhores amigos do mundo: não tem preço.

...


Não tem preço também a vinheta da Continental no meio da música. É impagável de tão chinelo e, por isso mesmo, tão bom. Eu não entendo como as pessoas NÂO ouvem a Continental FM. Adoro quando eles tocam Fagner (eles devem ter o maior acervo do Fagner da América Latina), Fafá de Belém e Simone cantando o hino de Tonha: "que venha essa nova mulher de dentro de mim...". Acho lindo.

...


Agora, falando muito sério, vocês não conhecem mesmo o pexbaA? Por favor, vão lá no site e baixem Yaba e também Birlium Barlium Bleum e descubram como uma banda brasileira que não é o Los Hermanitos pode me fazer tão feliz. As melhores letras, as mais fantásticas melodias. Desconstrução, de qualquer espécie, é o que há.

...




Momento descontrol ou "Me segura que eu vou ter um troço!". Acabo de ganhar o Prêmio Vaca lá nas Filhas do Dono. O ego ficou tão inflado, mas tão inflado que vocês nem imaginam. Mais que isso: chega a dar um negócio na pessoa descobrir que essas moças acham mesmo isso tudo de mim. Juram que não é engano? Esse mundo virtual só me dá alegrias mesmo e não tenho um pinguinho de dúvida de que tenho conhecido as melhores pessoas do mundo através do monomulti. Gurias, vocês é que são puro luxo e pessoinhas que têm um lugarzinho vip no meu coração.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários