terça-feira, junho 06, 2006

Jobs da Jô*


Royzinho volta hoje do pital e, em sua homenagem, auto-retrato de corpo inteiro, escuro, de longe e com a porta istáile ao fundo no Self Portrait Tuesday. Mais porta, em outro ângulo e com sombras estranhas, aqui. E enquanto o Royzinho não se recupera de verdade, é o melhor que temos para o momento.


- Tenho que entregar uma matéria sobre dança. O problema é que eu nunca escrevi sobre dança em toda essa parca vida de jornalista. Mas eu tou tentando. E faço qualquer coisa por um frila bem (e até mal) remunerado.

- O melhor brownie do mundo pesa 65 gramas, custa três reais e deve ter umas cinco mil e quinhentas calorias. Deus sabe o esforço que eu faço, todos os dias, pra não ir naquela cafeteria dentro do Zaffari e afundar os dois pezinhos na jaca.

- Eu me identifico muito com aquela progaganda do Brilho Fácil, sabem? Aquela que faz uma paródia com o filme Flash Dance e tem uma mulher lôca que limpa a casa com o corpo enquanto dança a musiquinha mais ícone dos anos 80: " She's a maniac, maniac on the floor / And she's dancing like she's never danced before". Sim, eu também acho que isso é grave.

- Você, mulher de um metro e meio, tem dificuldade em encontrar saia adequada para seu, ãhn, pequeno porte físico? Veja bem, hoje eu passei uma hora dentro de um provador de roupas de uma loja feminina, enfernizando as atendentes, fazendo elas baixarem todo o estoque: provei umas quarenta saias e nada, absolutamente nada ficou bom. Se tem uma coisa que eu não posso é com as tais tendências de moda. É tudo evasê demais, godê demais, cheio de pregas demais e longo demais - e olha que eu até gosto de uma saia mais comprida, apesar do meu tamanho pocket. Agora, me digam: é culpa minha? Não, minhas amigas, a culpa é da indústria da moda que agora deu pra fazer saia pra Ana Hickmann. E não, eu não tenho nada menos fútil pra me preocupar no dia de hoje.

- Momento estranhas buscas fashion: me diga se não é pra pessoa se divertir muito com um negócio desses? Me diz.

* O título desse post é uma homenagem às Megeras Magérrimas. Obviamente.


# . por Joelma Terto .  0 Comentários