sexta-feira, abril 07, 2006

ex-tresse

Nada como ficar dois dias de molho, em casa, dormindo quase o tempo todo e se hidratando, com um intervalo, no meio, pra ir ao hospital e tomar soro na veia. Sim, às vezes é preciso mesmo uma mega infecção intestinal pra fazer a pessoa parar. Todos os mimos pra mim no dia de hoje: telefonemas, atenção do marido ao meio-dia e até a Valentina vem me visitar.

É como se o feriadão tivesse chegado mais cedo.

A ida ao hospital merecia um parágrafo só pra ela, descrevendo minunciosamente cada pessoa enferma ao meu redor - a mulher angustiada do plasil que perguntou se aquele soro era "dos que engorda", a enjoadinha do meu lado que dizia que ia vomitar a cada cinco minutos, o guri da ecografia... E eu ali, sofrendo. Tanto. Quem tem medo de agulha e passa mal vendo sangue levanta a mão.

No fim das contas, só o Gatorade me salva. Não digo que sobrevivo? Sempre.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários