sexta-feira, dezembro 30, 2005

o último dia




Vocês leram a coluna do Verissimo da Zero Hora de ontem? Ele falava da inutilidade dessa semana entre o natal e o ano novo. Que ela só serve pra trocar presentes, o que se pode fazer, muito bem, na primeira semana de janeiro. Eu achei o máximo! Passei a semana inteira com essa sensação de fastio, de preguiça generalizada, de saco cheio do mundo. Muito pior que, no escritório, o telefone nem tocava. Aproveitamos pra fazer limpeza nos e-mails e nas pastas de trabalho. Dá-lhe jogar coisa fora. Taí a função da última semana do ano: jogar coisa fora.

A gente também fica pensando na vida e lembrando os momentos bons e ruins do ano que está acabando. A mim não cabe dizer se 2005 foi bom ou ruim. Foi um ano diferente, com um monte de acontecimentos estranhos e diferentes. Mais pra bom que pra ruim. Ah, e já que falei no Verissimo, foi em 2005 que entrevistei o próprio, por e-mail. Inclusive ele me mandou, via mail, um abraço. Sim, o Luis Fernando Verissimo me mandou um abraço, por e-mail. Tá certo que eu havia desejado um FORTE ABRAÇO. Ok, ok. Todo mundo tem o direito de ter seu momento totaly descontrol na sua vida. O meu foi trocar e-mails com o Verissimo em 2005.

Esse ano, pela primeira vez em milhares de anos, não vou passar a virada perto da água - salgada ou doce. Talvez eu não tenha o mínimo saco de sair de casa, pegar estrada, essas coisas todas. Vou comer churrasco, me divertir e ganhar um beijo bem gostoso do 77 no primeiro segundo de 2006.

E que 2006 seja um ano SUPIMPA pra todo mundo. E será!


# . por Joelma Terto .  0 Comentários