terça-feira, dezembro 06, 2005

BIANAL, PARTE II





1) Não é sintomático o fato de numa mesma bienal de artes visuais, mais especificamente num mesmo ambiente de uma bienal, haver três obras que utilizam vasos sanitários em sua concepção? Ânh? Ânh? Ah, a arte contemporânea! Apesar de tudo, tinham coisas muuuuuuito legais. Mas agora não adianta mais correr, que já acabou.

2) Sobre o show de ontem, eu só tenho uma coisa pra dizer: ROCK N' ROLL! Apesar de ser pocket, foi o show mais visceral do Los Hermanos que já fui até hoje. E olha já fui a muitos e que estamos falando de um show do disco 4! Não dá pra explicar, não dá. Digo que pulei muito e cantei e fui feliz até o último fio de cabelo. E descobri que eu e o Amarante temos algo em comum: fazemos o passinho michael jackson (aquele de andar pra trás) IGUALZINHO! Totalmente desengonçados, ti fofos! Mas, voltando: o que foi Condicional? Me digam! Peso, peso, peso e eu quase tendo um ataque epilético! Foi muito lindo, muito tudo. Muito rock. Muito.

3) O que não é nada legal é o desrespeito dessa gente que promove shows: por que eles insistem em marcar para as 22 horas e deixar o primeiro show começar só depois das 23h30min em plena segunda-feira? É um abuso. E ninguém faz nada.

4) A Luci é que costuma citar o Verissimo em horas de aperto e aperreio: "a minha musa inspiradora é o dead line". Pousé, eu sou uma mulher totalmente em prazo de fechamento entre hoje e amanhã. Tô tentando espremer o cérebro pra ver se saem os malditos 5 mil e quinhentos caracteres. Com coerência.


"O que eu preciso é lembrar e ver / Antes de te ter e de ser teu / O que eu queria o que eu fazia o que mais? / E alguma coisa a gente tem que amar / Mas o que não sei mais" (Rodrigo Amarante, in Condicional)


# . por Joelma Terto .  0 Comentários