segunda-feira, maio 09, 2005

Brasil Telecom? BOICOTE!

Os fatos:

1) há mais de dois meses eles me ligaram muito, mas muito mesmo, oferecendo BR Turbo. Chegou ao absurdo de me ligarem várias vezes, no mesmo dia, e pro celular. Mesmo cada vez eu dizendo que NÂO QUERIA A DROGA DO SERVIÇO e pedindo, por favor, pra eles pararem de me ligar. Não é mentira. E eu tenho provas disso.

2) Passa uns dias e eles me aparecem lá em casa para INSTALAR o tal BR TURBO. Sorte que não era dia de Nilza, a faxineira, senão ela tinha deixado entrar e fazer o estrago. Afinal, eles tinham uma ordem de serviço que a Dona Joelma autorizou e talicoisa.

3) Sem eu ter pedido o serviço e sem eles terem instalado o mesmo, eles me COBRAM por isso. Esse mês Já é a SEGUNDA fatura que tenho que pedir correção.

4) Também já é a SEGUNDA vez, em menos de dois meses, que fico SEM TELEFONE em casa porque a linha dá problemas. E ontem, dia das mães, quase fiquei sem falar com a minha por culpa deles. Penso seriamente num processo por danos emocionais.

DETALHE SÓRDIDO - Em nenhum lugar das contas de telefone há um 0800. Só um 103, que só dá pra ligar do próprio telefone. No caso do meu, com defeito, o que fazer? Vou atrás das contas antigas e encontro lá um 0800. Ligo do celular. No meio da conversa - 1)pedido de reparo 2) pedido de acerto de conta telefônica - peço à toupeira manca que me atende o número da OUVIDORIA. Ele diz que eu tenho que ligar pro 102. Eu aviso, meu querido, meu telefone não funciona, como posso ligar pro 102??? Ele diz, desculpe senhora, a senhora vai ter que ligar de um orelhão. UM ORELHÃO!!!

Sim, meus amores, isso escorrendo no canto da minha boca é sangue! E eu, que achava que a raiva já tinha passado, tô que não me agüento de tanto ÓDIO, só de relembrar tudo isso.

Eu quero mandar uma carta bomba pra Brasil Telecom. E vou sim falar com a OUVIDORIA pra mandá-los, pessoalmente e com estardalhaço, à puta que os pariu. Enquanto isso, eu rezo, todos os dias, pra Santa GVT atender minhas preces e colocar, finalmente, uma linha lá em casa.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários