sexta-feira, março 11, 2005

Tudo era apenas uma brincadeira e foi crescendo, crescendo, crescendo...

Na noite anterior sonhei que estava num show. Do Jimmy Page (!). O rock n' roll comendo solto e, acreditem, Nestor Tipa Junior tocava baixo, enquanto numa espécie de mezanino no palco, Bob Marley - o próprio - fazia figuração lá em cima.

Como bizarrice pouca é bobagem, do nada, no maior estilo Enigma de Plumbius, surge um letreiro: BENSIMOM - uma alusão clara à Carolzinha. Detalhe sórdido: a fonte era a mesma do letreiro do TSUNAMI TATTOO E PIERCING, que tem ali na José do Patrocínio. Sim, sim, nada disso pode fazer qualquer sentido.

Corta.

Estou num ônibus. Desço numa dessas paradas de rodoviária, cheia de bagagens, pra fazer uma consulta com um médico lá mesmo na rodoviária, voltar pro ônibus e seguir viagem. Penso que a consulta era às 16h30, mas era às 16h. Perco a consulta e quando volto, perdi o ônibus. Detalhe: há bagagens minhas dentro do ônibus que se fue.

Corta.

Estou no meio da rua, toda de preto, conversando com uma meia dúzia de colegas do tempo de colégio. Coisas básicas, tipo cabelos-maquiagem-cremes & loções-dieta & ginástica. Improvável, no mínimo.

Corta.

Converso com a Sabine. Mas, peraí! OH NO! A Sabine não é a Sabine!!! E... CHEEEEEEGA!!!!

Muita emoção barata numa noite só.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários