sexta-feira, fevereiro 20, 2004

Balangandans
(Maurício Pereira) Warner Chappell

é justo, para se lamentar, a gente abrir mão de segundos preciosos
que talvez nos trouxessem direto um pro outro?
é justo que um pote de ouro venha ao seu encontro (e ao meu)
e desencadeie pânico, paralisação, desastres, desculpas?
é justo eu te dar um beijo na boca à margem da testa, da fala e da escrita
de uma represa, uma festa?
é justo permitir que uma palavra desgovernada deixe minha boca
e aumente minha resistência
a você?

se uma pessoa só é uma máquina só
se ela
(provavelmente)
canta, dança, pensa, treme
aflita
não será que tem respostas nas pontas dos dedos
dados, balangandans no pensamento
que costumem nos acompanhar?


pá pá pá...


(ouvindo muito direto no repeat o precioso cd Peças e Pessoas da minha querida Adriana Defentti )

# . por Joelma Terto .  0 Comentários