terça-feira, dezembro 16, 2003

um cara muito estranho, sentando à sombra de uma árvore

Outro dia eu comentei, aqui mesmo - aliás, perguntei e não tive NENHUMA resposta - se alguém, além de mim se pegava cantarolando "Na sombra de uma árvore " do HYLDON.

Na ocasião, eu não lembrava direito o nome dele - se era hilton ou hildon ou hyldon... e até confundi com o DALTON, que é OUTRA pessoa.

Pois bem. Nâo é que o próprio me achou e mandou um e-mail retificando seu nome? Disse que ficava feliz por eu gostar da música, parabenizou pelo niver e deixou o endereço do seu site: o www.hyldon.com.br .

Eu achei tudo isso MUITO ESTRANHO. Mas enfins. O poder da internet. Quem sabe?

Mas, agora eu sei que HYLDON não é DALTON, pergunto: alguém aí, além de mim, já se pegou cantarolando MUITO ESTRANHO, do DALTON, em tardes chuvosas de verão?!? Hein? Hein?

Pra ouvir a música, conhecer a letra e ainda se acabar de rir com a bagaceirice que fizeram com esse primor da música brasileira, cliquem AQUI.

...

- o poder da internet: uma semana depois de receber tal e-mail supracitado, o Duke Jay, DJ do Bataclã FC me manda um e-mail dizendo que achou no blog um comentário meu sobre um show deles ano passado e que ficava feliz por eu gostar da banda e talicoisa. eu só tenho uma coisa a dizer: nossa!

- "então misture tu-do, dentro de nós..."

- São Google dá até o que tu não procura. Como um site chamado navaskaranga (seria isso um genérico das nEvaskarangas do Sr. Willie Wonka, da Fantástica Fábrica de Chocolates?!? nunca saberei), que disponibiliza uma PENCA de músicas pop. todas em MIDI!!! (e vocês não imaginam meu sorriso de felicidade pueril). agradeço a santo expedito a graça alcançada. e ainda dou três pulinhos pra São Longuinho.

- chovia muito. entrei no shopping praia de belas só pra comprar um sundae de chocolate da Petiskeria. quando saí ainda chovia. muito. e cruzei (no sentido de encontrar no caminho inverso - ok, eu sei que ficou confuso) com o Nei Lisboa. com guarda chuva aberto e tudo. tu veje como as coisas, às vezes, não fazem sentido algum...


# . por Joelma Terto .  0 Comentários