terça-feira, setembro 30, 2003

todo dia ela faz tudo sempre igual...

De que calada maneira você chega assim sorrindo, como se fosse a primavera, e eu morrendo...
E de que modo sutil me derramou na camisa todas as flores de abril.
Quem lhe disse que eu era riso sempre e nunca pranto? Como se fosse a primavera, não sou tanto...
No entanto, que espiritual você me dar uma rosa do seu rosal principal

(Pablo Milanés/Nicolas Guillén/Chico Buarque)

e é óvbio que essa música linda que não sai do repeat, desse hômi lindo, vai in homenáge. a ele.
ah, primavera...

# . por Joelma Terto .  0 Comentários