sexta-feira, setembro 12, 2003

hoje*

Porque hoje deu vontade de escrever, de ser pessoal. Porque fez um dia lindo e quando voltei da reunião, ainda pela manhã, ele dormia feito criança e eu fiquei brincando de casinha, de lavar louça e arrumar a casa ("abre essa janela, primavera quer entrar pra fazer da nossa voz uma só nota...") e isso tudo me deu prazer. Porque depois da tarde leve de trabalho deixei a preguiça entrar e abri mão das horas no cinema pra ficar em casa (tão limpinha e organizada como há muito não encontrava na volta do trabalho) e ouvi The Doors, enquanto lia o Coração Selvagem. É porque estou (sou?) feliz-muito-feliz com tudo de bom que a vida tem me presenteado, como um acerto de contas pelos anos de erros atrás de erros e perrengues e ... É porque depois dos compromissos que me fazem ligar o computador ao chegar em casa vou ler Poe e deitar na minha cama gostosa de colchas novas-velhas-quentinhas que ele trouxe pra mim apesar da ausência d'ele só por hoje embaixo delas. É porque ele prometeu (prometeu?) que vai gravar a trilha de Hair pra mim e vou poder ouvir Good Morning Starshine no repeat quando ele estiver longe e lembrar d'ele e de mim e de nós dois. E porque é tudo vivo muito vivo.
...

*hoje na verdade é ontem. mas quem se importa?

"Come on, come on, come on now touch me baby
Can't you see that I am not afraid.
What was that promise that you made?
Why won't you tell me what she said?
What was that promise that you made?
I'm gonna love you till the heavens stop the rain
I'm gonna love you till the stars fall from the sky
For you and I"

# . por Joelma Terto .  0 Comentários