terça-feira, agosto 19, 2003

não se assute pessoa, se eu lhe disser que a vida é boa

Quem acompanha o blog e passou por aqui em janeiro, deve lembrar que estive com a casa cheia de gente em virtude do Fórum Social Mundial e que, junto com uns jornalistas&cineastas loucos de todo o Brasil, captamos material para um documentário.

Com o apoio da Busca Arts Produções, uma produtora bem bacana de São Paulo, editamos um curta de 24 min., chamado ROLÊ e estamos em processo de edição do documentário (que ainda não sei se será média ou longa).

ROLÊ estreou no dia 15 de junho, na Mostra do Audiovisual de SP (no Centro Cultural do Banco do Brasil) e foi selecionado para entrar na MOSTRA PARALELA - VÍDEOS INDEPENDENTES, do XI GRAMADO CINE VÍDEO, mostra que acontece durante o Festival de Cinema de Gramado, que começou ontem e vai até sábado.

Dirigido por Ana Rosa Marques, Camilo Cavalcante e Tatiana Baruel, ROLÊ será apresentado no CineVídeo de Gramado, quarta-feira (20/08), às 10h. O documentário vai participar também do Panorama de Cinema de Salvador e Recife (agora em agosto) e Festival de Cinema e Direitos Humanos, de Barcelona (Espanha). Mandamos ainda para um festival de Berlim, mas ainda não saiu a resposta.

Uma pena que a mostra paralela não tenha premiação, mas só em estar participando já é uma vitória, afinal, de 300 documentários entararam só 18 e nós estamos dentro.

Sobre o nome, ficou Rolê porque narra as impresssões de duas das diretoras no último dia do Fórum: "percorremos vários espaços neste dia (daí o nome) e trata-se de um documentário informal, porém com depoimentos surpreendentes. Há várias surpresas neste documentário, uma delas é não deixar claro que tudo aconteceu no Fórum Social Mundial (esta informação só aparece no final). Esta opção narrativa funcionou, Rolê foi o único vídeo aplaudido na sessão em que foi exibido, na Mostra do Audiovisual (havia mais 4). Foi lindo", diz a Tati, por e-mail.

Eu, que de cara, não curti o nome, fiquei menos arisca quando ouvi a explicação. Ademais, recordando aqueles luminosos dias no Acampamento da Juventude da Marcílio Dias, lembrei da trilha sonora da casa: Magnólia e NOVOS BAIANOS. Bingo!

Fico feliz que o curta já esteja na roda e que o documentário esteja bem encaminhado caminho, como fiquei feliz em receber aquele povo todo em minha casa e em participar, como Produtora Executiva (nome pomposo pro "faz-tudo" em que me vi transformada naquela semana) de um projeto tão legal. Agora estou só na expectativa de poder ver o material, já prometido pela Tati quando sobrar uma graninha. Agora é torcer pra que ROLÊ conquiste algum prêmio nos próximos festivais.

"enquanto eles se batem
dê um rolê
que você vai ouvir
apenas quem já dizia
eu não tenho nada
antes de você ser
eu sou
eu sou
eu sou o amor da cabeça aos pés
e só tô beijando o rosto de quem dá valor
pra quem vale mais um gosto do que cem mil réis
eu sou
eu sou
eu sou o amor da cabeça aos pés"
(novos baianos in dê um rolê)

# . por Joelma Terto .  0 Comentários