quinta-feira, julho 03, 2003

Isso que ouso chamar de

Acho que dizer que estou feliz basta. Felicidade insana. Insana felicidade.

Houve um tempo em que via tudo como distante e impossível. Eis que o que era distante, agora tão perto. E o impossível não mais, nem nunca foi. Ah, felicidade!

“Quando eu penso em você eu tenho febre” (RR)

Quando não estás aqui, fica tudo mais ou menos sete cidades.
Quando estás, fica tudo lindo. AZUL. Quentinho e aconchegante.


minhas flores azuis
Me dá tua mão, vamos passear.

....

sei que não se deve sair por aí contando dinheiro na frente dos pobres e que corro o risco de parecer adolescente abobada fazendo disso diarinho, mas não tenho como não fazer esse comentário:

meu pequeno-grande-floricutor-virtual, simplesmente, NÃO EXISTE! é tão perfeitinho, tão fofo, tão querido, tão lindo... que parece até invenção.

digo isso porque a cada dia, dos últimos 63 73, a criatura me dá cada vez mais só alegrias.

me dá carinho e cafuné e me bota no colo e me diz coisas lindas, como ontem à noite, quando eu estava malzona, chorosa e descrente na vida.

me cobre de mimos e surpresas, como há horas atrás...

me entende e me completa.

ó: tu não existe. :)


# . por Joelma Terto .  0 Comentários