segunda-feira, julho 21, 2003

fragmentos de uma sexta-feira

Boa a visita do amigo, de perto, do coração, distante. E conversar e tomar chá e viajar e falar e falar e falar. E ouvir.

Me fez pensar. Ele não sabe o quanto. Mas me fez pensar. Muito. Sobre muitas coisas. Mas hoje é tudo tão mais simples. Criatura média com médias expectativas: me defini. E me *defendi*, depois. Mas não quero fazer isso aqui. Não agora. Não importa. O que importa é que o *simples* vem daí, do médio. E é a simplicidade que busco. E com ela, a felicidade. Cansei de ser triste, de escarafunchar problemas, de ser insatisfeita. Ainda não sei o que quero, mas sei que quero buscar satisfação em seja lá o que diabos esteja fazendo. E isso é bom. E é assim que tem que ser.

Tem tanta coisa ainda, no meio do caminho. As dúvidas, inclusive. Mas tem também uma companhia gostosa, sempre ao lado. E isso é tão, mas tão bom, que dá vontade mais ainda de criar raízes a sair sem rumo por aí, como pediria o lado aventureiro que deveria haver em mim.

E eu penso que não vou pensar muito. Porque dói. Vou só seguir em frente. E que seja doce, como diria o Caio...

# . por Joelma Terto .  0 Comentários