sexta-feira, abril 04, 2003

SO BLUE

 eu continuo assim...

Região Azul...
(Cruz e Souza*)

As águias e os astros abrem aqui, nesta doce, meiga e miraculosa claridade AZUL, um raro rumor de asas e uma rara resplandecência solenemente imortais.

As águias e os astros amam esta região AZUL, vivem nesta região AZUL, palpitam nesta região sul. E o AZUL, o AZUL virginal onde as águias e os astros gozam, tornou-se o AZUL espiritualizado, a quinta-essência do AZUL que os estrelajamentos do Sonho coroam...

Músicas passam, perpassam, finas, diluídas, finas, diluídas, e delas, como se a cor ganhasse ritmos preciosos, parece se desprender, se difundir uma harmonia AZUL, AZUL, de tal inalterável AZUL, que é ao mesmo tempo colorida e sonora, ao mesmo tempo cor e ao mesmo tempo som...

E som e cor e cor e som, na mesma ondulação ritmal, na mesma eterificação de formas e volúpias, conjuntam-se, compõem-se, fundem-se, nos corpos alados, integram-se numa só onda de orquestrações e de cores, que vão assim tecendo as auréolas eternais das Esferas...

E dessa música e dessa cor, dessa harmonia e desse virginal AZUL vem então alvorando, através da penetrante, da sutil influência dos rubros Cânticos altos do sol e das soluçadas lágrimas noturnas da lua, a grande Flor original, maravilhosa e sensibilizada da Alma, mais AZUL que toda a irradiação AZUL e em torno à qual as águias e os astros, nas majestades e delicadezas das asas e das chamas, descrevem claros, largos giros ondeantes e sempiternos...


*José da Cruz e Souza: poeta brasileiro, catarinense, nascido em 1861, precursor do Simbolismo, movimento da literatura Brasileira que prezava pela “valorização do ritmo, das sensações, das sugestões, do indefinível. (...) O simbolismo aproxima o poeta do músico, que, em vez de sons, trabalha com palavras que têm o poder de evocar os sentimentos e emoções, mas não o sentimentalismo choroso e superficial dos Românticos e sim os profundos anseios e angústias que atormentam o espírito sensível do poeta”, segundo Douglas Tufano, autor do Estudos de Literatura Brasileira.

....

- é claro que a caixa alta em todos os AZUIS é licença MINHA.
- eu achei isso aí tão...


# . por Joelma Terto .  0 Comentários