sábado, março 29, 2003

Que se faça o sacrifício/ e cresçam logo as crianças

A Zizitchous tá indo embora pra São Paulo. E ontem fez um bota-fora (duplo, já que ela e a Mi estão entregando o apê do Boca, que volta esse mês de Londres). Ela tá tri feliz. Expectativas do que está por vir. Feliz fico eu de vê-la assim, de ver os amigos tomando seus rumos, mesmo que fiquem longe. Dá uma vontade danada de ir junto, de ouvir os conselhos da Joice e dizer um “deu pra ti baixo astral, tô pegando a estrada, tchau”. Mas. É, “mas” ponto mesmo. Já me dei meu prazo, espero mais um pouco pra ver o que acontece por essas bandas. Porque eu gosto muito daqui. Um tantão assim. Não sei o que tem essa cidade que me dá uma dor só de pensar em deixa-la.

Enfim.

O que importa é que a festa/noite foi muito legal. É sempre bom rever as pessoas queridas e, muito mesmo, aquelas pessoinhas responsáveis (mesmo indiretamente, como é o caso da Gonna e da própria Raquel) pela minha vinda pra cá. Abraçá-las, conversar bobagem, contar histórias, ouvir vinil, tomar (muita) cerveja... e otras coisitas más.
...
“O que eu tenho de melhor: minha esperança” (RR)


# . por Joelma Terto .  0 Comentários