domingo, março 09, 2003

Porque CHICO é tudo. E em homenagem ao final de semana e às pessoinhas que FIZERAM o final de semana. E porque continuo sendo uma mucama eficiente (e não cobro couvert):

Olê, Olá
(Chico Buarque)

Não chore ainda não que eu tenho um violão
E nós vamos cantar
Felicidade aqui pode passar e ouvir
E se ela for de samba há de querer ficar
Seu padre toca o sino que é pra todo mundo saber
Que a noite é criança, que o samba é menino
Que a dor é tão velha que pode morrer
Olê olê olê olá
Tem samba de sobra, quem sabe sambar
Que entre na roda, que mostre o gingado
Mas muito cuidado, não vale chorar
Não chore ainda não que eu tenho uma razão
Pra você não chorar
Amiga me perdoa se eu insisto à toa
Mas a vida é boa para quem cantar
Meu pinho, toca forte que é pra todo mundo acordar
Não fale da vida , nem fale da morte
Tem dó da menina, não deixa chorar
Olê olê olê olá
Tem samba de sobra, quem sabe sambar
Que entre na roda, que mostre o gingado
Mas muito cuidado, não vale chorar
Não chore ainda não que eu tenho a impressão
Que o samba vem aí
É um samba tão imenso que eu às vezes penso
Que o próprio tempo vai parar pra ouvir
Luar, espere um pouco que é pra o meu samba poder chegar
Eu sei que o violão está fraco, está rouco
Mas a minha voz não cansou de chamar
Olê olê olê olá
Tem samba de sobra, ninguém quer sambar
Não há mais quem cante nem há mais lugar
O sol chegou antes do samba chegar
Quem passa nem liga, já vai trabalhar
E você, minha amiga, já pode chorar


# . por Joelma Terto .  0 Comentários