quarta-feira, fevereiro 12, 2003

(in)utilidade pública

Hoje à noite: A FESTA DA CARNE (não é da Carine não, é da carne mesmo, boi, filé, bife...) – Pré-carnaval da Fabico*.

7 pila = bebida liberada. A partir das 23 h, no Galpão dos Bombeiros (Silva Só, ali do lado do ginásio da Brigada) – Porto Alegre-RS-Brasil. Ao contrário do que sugere o nome, não terá churrasco. Esqueçam. É de outro tipo de carne que esses impuros estão falando.

Eu vou, né? Porque, afinal, a nata chinelona fabicana me chama e, no fringir dos ovos, só a diversão salva e liberta. E eu acho que vai ser muito engraçado, como tem sido TODAS as farras fabicanas...

Ah, sem esquecer que: a bagaça é “à fantasia”. E eu vou fantasiada de SUCO CITRUS, depois que desisti de ir de PIRATA (porque eu não ia agüentar passar a noite inteira com aquele TAPA-OLHO infame. só por isso. mas seria massa. eu ia até fazer uma tatto de caneta escrito SUELY e um coração com uma flecha. e já tinha até um bordão prontinho: “te saquearei. te saquearei”. outro ainda: “eu quero RUM!”). Eu juro que não sei, ridículo por ridículo, o que seria melhor/pior, mas creio eu que foi a melhor decisão, pro bem geral da preservação da minha imagem, já tão gasta em Chinelagens** passadas...

...

* eu fico aqui falando da Fabico e esqueço que tem gente que pode não conhecer. Então, a saber. FABICO: Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, tchê (UFRGS). Pronuncia-se: URGS (não é urrrrrgs não, é uRgs.)

** Chinelagem: tradicional (sic!) festa fabicana, no Jardim de Inverno da Fabico. Onde rola: cerveja, mesa de sinuca, discotecagem from hell paga vale, muita gente (disposta a *pagar vale*) e muita, mas muita diversão e, como não poderia deixar de ser em se tratando de seres fabicanos chinelos, pagações de vale múltiplos e constantes. Na última rolou a Dança da Joelma, que consistiu em uma joelma sendo embalada nos braços de vários varões (sic!) fabicanos, ao som de Hei Jude! Constrangedor total. (Isso acaba com a minha reputaria, mas é a mais pura verdade).

...

E eu diria que, só não sou/fui uma fabicana por questões meramente logísticas. Mas eu adoro aquilo lá e muitas das pessoas que lá estão ou que por lá passaram.


# . por Joelma Terto .  0 Comentários