quinta-feira, fevereiro 13, 2003

cinema mudo

(Bom passar o dia de pijama. E ir pra fora de pijama. Tentar trabalhar de pijama, telefonemas sonolentos. Bom receber visitas, as gurias aqui em casa, espalhadas pela pseudo-sala-empresa, tão pequena... um chimarrão, muitas conversas e risos. Cabecinhas em ebulição, mudanças rápidas, a profunda tristeza de alguém que sofre porque outro alguém está indo embora e a gente não se acostuma com as perdas. Mas temos umas às outras, o que, às vezes, e nesse caso, não adianta lá muito. Mas estamos aqui. Tu sabe.)

# . por Joelma Terto .  0 Comentários