sábado, fevereiro 01, 2003

A celebração
(Sivaldo Pereira)

Senhores
O Cosmos é nada
A Ciência é nada
E nós?
O que haveríamos de ser

A História enfim se foi
E o Anti-Cristo empacou
No congestionamento eletrônico dos céus
Os anjos com suas trombetas
Foram tocar blues
Em algum lugar sereno do inferno

Sobrou-nos o tédio
Pois nem o apocalipse acontecera

Borboletas?
Cocaína?
Goma-de-mascar?
Filosofia?

Mas não choremos senhores
Não!
Não choremos agora
Adentro de cada pedra há um poema
Celebremos as pedras então!

Revólveres já não me tentam
Janelas já não me chamam

Sou um suicida neste tempo sem Era
Fiquei pra assistir a Grande Comédia
E pra rir
De todas as minhas angústias

...

Sivaldo passou por aqui. E não haveria de passar sem causar “estragos”. Sem deixar de presente alguma coisa, palpável ou não. Como isso aí, escrito em tempos idos. E que chega em boa hora, como tudo que tem sua hora de chegar e de ir embora.


# . por Joelma Terto .  1 Comentários