quinta-feira, janeiro 09, 2003

É primeiro de janeiro

Eu não falei nada aqui sobre a posse. Só uma linha dizendo que tinha visto pela tv. Em Arambaré. Mais precisamente na sede do PT de Arambaré, junto com toda a galera que estava na casa/pousada/camping que ficamos (a saber, pessoal que está na organização do Acampamento da Juventude, todos petistas). Uma tevezinha de 14" e a galera embolotada na frente, acompanhando TUDO, como se fosse copa do mundo.

Foi lindo. Foi muito emocionante. Não preciso dizer, porque vocês viram. Porque vocês sentiram. Eu sou uma chorona. E chorei ouvindo a primeira vez que tocou o nosso hino (cacófato proposital). Puxa, hino tem essa coisa de aristocracia, de marcial, mas é inegável que o nosso é lindo. É poético. Sempre achei. E ali, naquela hora, com aquelas pessoas, depois do reveillon mágico, e dentro de todo o contexto, fazia o maior sentido. Preciso dizer que na nossa caravana, tinha ainda um carioca, um paulista radicado em Arambaré (dono da casa que empresta para o PT. o cara mora na casa com a família e, ao final, ainda serviu um almoço maravilhoso pra quem estava com fome. eu era uma. com cerveja e tudo! fomos ao delírio), uma estrangeira, a Isabelle (agora não lembro, mas acho que ela é austríaca) e um cachorro. Pura simbiose.

Deitado eternamente em berço esplêndido,ao som do mar e à luz do céu profundo, fulguras, ó Brasil, florão da américa, iluminado ao sol do novo mundo!

Do que a terra mais garrida, teus risonhos, lindos campos têm mais flores; ‘nossos bosques têm mais vida’, ‘nossa vida’ no teu seio ‘mais amores’



Vontade grande de estar lá. De estar fazendo parte da história. Ao vivo e a cores. Vários amigos estavam em Brasília. E eu não fui por pura falta de grana mesmo, porque se tivesse algum dinheiro, tinha ido e encontrado, além de tudo, todo o pessoal da comunicação, de todo o Brasil, que se reuniu pra matar a saudade e ver a posse.

Sobre a posse, Sivaldo, mandou e-mail pra lista. A nossa TsapaList, única que assino hoje e quase desativada. Que já foi muito ativa e sobrevive por causa de uma meia dúzia de almas (eu, Darisbo, Coelho, Lua, Sivas, Léa):

Tô em Brasília na casa de um amigo. Passei o reveillon na Chapada dos Veadeiros e vim ver a posse. indescritível. Nem livros, nem jornais, nem lentes poderiam captar tudo o que podia ser visto, sentido e vivenciado na Esplanada dos Ministérios neste primeiro dia de 2003. A expressão das pessoas. A vontade de futuro no espírto. Gente de todas as idades. De diferentes gerações. De mundos diferentes, embora de um mesmo País. Um misto de sentimento revolucionário e de esperança quase pueril. Vc olha pros olhos desta gente, olha pros céus desta terra e se apaixona por este lugar chamado Brasil. E isso nem é um nacionalismo tosco. É saber sentir o que somos e o que podemos ser e descobrir que somos mais que um grande País.

De gente que trabalha, que rala, que se fode, mas sonha, mas tem esperança. Gente que luta todo dia.

........

Também não tinha como não lembrar de wado/ball: "é primeiro de janeiro..." e o resto da letra eu não sei. Fico cantarolando intuitivamente (Erika, me manda essa letra, por favor!).

........

A título de informação (pra galera amiga dasantiga que visita esse blog. ei, Paulinha!) Sivas do Cachinhos encontra-se agora, nessa hora, em alguma parte do Brasil, mais precisamente no sudeste. Deve chegar em PoA no dia 20. E vai ficar aqui em casa, claro, que ele não seria besta de não ficar. Já me intimou a, no dia que chegar, irmos tomar uma polar e comer um xis, no Cavanha´s. Iremos. Ele fica aqui durante todo o Fórum. Estou ansiosa. Com saudades. Louca pra encontrar esse menino tão especial na vida de todos nós. Relembrar muitas coisas e viver coisas novas durante o curto tempo que vai passar aqui.

# . por Joelma Terto .  0 Comentários