sexta-feira, janeiro 10, 2003

Ode às Alagoas

Um pandeiro, um assovio e:

Mesma formação de pedra, ô minha nega, mesma formação de pedra.
Da praia da sereia à Ponta Verde
Da Ponta Verde ao Francês
Do Francês à barra de São Miguel
Pontal de Coruripe, era uma vez
A piscina do mar, Maceió, piscina do mar
Mesma formação de pedra, ô minha nega, mesma formação de pedra, oia a mema.
Japaratinga, Maragogi, Jequiá, Paripueira
Na Ilha da Croa, amar, amor pra amar a vida inteira
A piscina do mar, Maceió, piscina do Mar

(Marcelo Jah, in Piscina do Mar)

Dá saudade sim. Ás vezes. Muitas vezes. Mas o que foi vivido já foi. Passou. E agora estou aqui. Vontade de estar lá, na linha que cerca o mar, às vezes. E às vezes, “às vezes, o corpo anda sem alma, explode vermelho pra todos os lados” (Wado/Ball). Tão nostálgica, às vezes. Mas passou.


# . por Joelma Terto .  0 Comentários