domingo, janeiro 26, 2003

A menina dança... até o sol raiar...

Já que isso ainda é um diário, e já que eu ando meio incomunicável, e já que tá rolando o fórum, e já que alguém de vocês possa estar com saudades, acho que vale a pena contar o que tá rolando por aqui.

O Fórum segue. Estamos trabalhando MUITO no documentário. A galera é muito legal e rola uma troca massa de idéias e impressões. Temos um roteiro, mas as coisas acontecem meio à base da intuição, às vezes (mas tudo tem dado certo até agora). Só que tem sido realmente cansativo, pra todo mundo. No primeiro dia, acompanhei toda a passeata de abertura. Muito legal. Situações inusitadíssimas. No segundo, resolvi só assuntos burocráticos de produtora executiva, na PUC, que é o centro nervoso do Fórum, onde quase tudo acontece.

A idéia do filme é fazer um recorte sobre o FSM, muitas imagens e depoimentos. Estamos tentando pegar algumas figuras interessantes/importantes, como o Galleano, o Augusto Boal, e o Capra. Fora isso, são depoimentos sobre algumas questões (com dos israelenses e palestinos, da proibição de participação de grupos armados, como as FARC) e de participantes do Fórum: o que eles vieram fazer aqui, o que viram/viveram, o que trouxeram, o que estão levando para os seus locais de origem, se um outro mundo é (mesmo) possível e o que se pode fazer para isso...Ontem, passei o dia entrevistando pessoas. Muitas figuras interessantes. Massa mesmo.

Me esbaldei de felicidade, no show do Bem Jor. Só de felicidade, porque, a essas alturas do campeonato, tenho maneirado no trago. A última bebedeira monumental foi na festa de encerramento do COBRECOS, que, diga-se, foi uma SBÓRNIA! Babilônica. Mas eu me abstenho de fazer qualquer comentário, até porque... deixa pra lá. Mas eu diria que, se alguém gritasse “todo mundo nu!”, a babaceira seria completa. Ainda bem que ainda sobra um pouquinho (beeeemmm pouquinho) de bom senso nessa gente.

(o mal é da geração, o mal é da geração. e me pergunto: é possível? acho que é, mas vai demorar ainda)

Vi o LuLa na sexta. Foi lindo. Quer dizer, já começa a ser meio repetitivo, ele diz sempre as mesmas coisas, mas sempre é lindo. Ainda mais aqui, agora, Fórum, o mundo inteiro vendo, Anfiteatro Por do Sol lotado.

E, na seqüência, ainda rolou um Tchu-tchu-á Social Mundial. Toda a galera do COBRECOS ali. No show também. Momento meio histórico da Comunicação. Os dinossauros da ENECOS, inclusive, estavam quase todos lá (Fil, Rodrigão, Sivaldo, Oona, Carol, Raquel Bragato, Luciana, Adriano, Tonho, Lúcio... e mais uma porrada de gente que não lembro) + a new generation (nova diretoria e povo em geral, que ficou pro Fórum).

O Acampamento da Juventude da Marcílio Dias tá um caos, mas tudo funcionando perfeitamente também, como não poderia deixar de ser. Esses dias houve um vazamento na descarga, que só será consertada amanhã. E eu quase enlouqueço. Não acho nada meu, tá uma bagunça sem fim, o povo dorme em qualquer lugar que encontra pela frente, mas vou morrer de saudades de cada um, quando isso tudo acabar.

Vou sentir saudades da casa sempre cheia, de chegar em casa e ter alguém tomando uma catuaba ou chegar e não ter ninguém e eu desmaiar, por duas horas, na cama, como aconteceu em algum desses dias... de sempre ter que dividir minha cama com alguém, por excesso de lotação (esses dias dormiram 8! não há como negar abrigo), das conversas intermináveis, do telefone tocando sem parar, das muitas roupas e toalhas penduradas pela casa...

Ontem cheguei em casa e dei de cara com um ANARQUISTA MEXICANO na sala, lendo jornal. Teto. Mas tudo na buena. Em cima do guarda-roupa há um vestido de novia, de um casal argentino muito gente boa, que percorre o mundo há anos e agora volta para Córdoba, para um ritual de casamento. Lindos os dois. Conversando com eles, aqui na sala, descobri que passaram um mês em Palmeira dos Índios (cidade que fui criada e vivi minha vida quase toda, no interior das Alagoas), trabalhando junto com a tribo dos Xucuru Cariri. Dá pra acreditar nisso? Esse mundo é mesmo muito louco.

Tenho ido aos shows e ao Acampamento da Juventude oficial. Mais nas noites. Até porque as reuniões do documentário estão sendo lá. Muitas coisas. Loucura total. Pessoas de todos os tipos, festas e assemelhados.

De pensar que ano que vem não tem de novo... Índia 2004. PoA 2005, talvez.

Só mais um dia pela frente. Aproveitarei.


# . por Joelma Terto .  0 Comentários