terça-feira, dezembro 17, 2002

“we’re not the same, we’re different tonight”

O Zani falou que eu soneguei informações, a Mi cobrou a história do meu amigos. Tantas coisas naquele sarau. Tanta. Tanta coisa vi e vivi. Acho que o mundo carece de mais BRINCADEIRA. Vamos brincar crianças. Vamos brincar, crianças? Eu quero tudo. Eu quero agora. Eu não quero a Terra do Faz de Conta, nem ser a Sininho. Mas eu quero asas. Eu quero brincar, com você, com vocês. Mezzo boba ou boba e mezzo.

Eu quero o meu amigos, mesmo que ele seja um quadrinho com um monino, um pato verde, um cachorro e uns passarinhos. Eu gosto de patos. Verdes. Eu gosto de quadros e esquadros. Eu gosto de abraçar o meu amigos. Na eloqüência do seu silêncio, ele me diz tanto, me diz tudo. Ele é singelo.

Eu quero tomar sorvete e me lambuzar. Eu quero picolé cremoso de morango, desses da infância, pingando no meu vestido branco, me manchando, me maculando com pureza. Eu quero um gosto gostoso na boca, um beijo doce e um abraço apertado.

Eu quero pular e girar. Ficar tonta e cair no chão. Eu quero brincar de esconde-esconde. Duvido que tu me ache, duvido. E se tu me achar, eu corro. Corro, corro, corro. Duvido que tu me pegue. Eu te escapo entre os dedos, eu viro líquido, eu me derreto, e torno a virar sólido. Assim, que nem se fosse teletransportada pra bem longe. Que nem se o tempo parasse e a gente entrasse num mundo paralelo cheio de sorvete: o mundo perfeito de Mimix...

Eu quero brincar. Com vocês.

too late to turn back now
i´m running out of sound
and i am changing, changing
and if we died right now
this fool you love somehow is here whit you
i won´t deny the pain
i won´t deny the change
and should i fall from grace here whit you
would you leave me too?


(Smashing Pumpikins, in Galapogos)


# . por Joelma Terto .  0 Comentários