segunda-feira, dezembro 23, 2002

Tenha fé, mas amarra teu jegue

Tudo se resolve. Até antes do que se imagina. Papai Noel existe. Ou a vida tem sido generosa comigo ultimamente. Pessoas tantas todas. Eis que, na mesma noite, Gugu aparece. E traz consigo mais uma caixa de surpresas. Moninos. Sempre surpreendendo. Me dando algum alento. Eu ainda soluçava quando ele chegou, com meu novo celular. Na verdade é um celular velho e estava num canto, quase indo pro lixo. Um Ericsson KF 288. E é fofo, pequeninho, pocket como jo. Tá meio avariado, falta uma peça e amanhã tenho uma maratona. Comprar a peça (o conector da bateria), ir no Batalhão não sei das quantas pegar o Boletim de Ocorrência do furto, ir na Telefônica trocar o seral... E tão logo estarei tele-móvel-comunicável de novo. Mais rápido do que eu podia supor ou imaginar. E com meu número antigo, o que é mais importante. O final de ano tá foda, pouca grana, coisas suspensas. E esse lance do roubo realmente me tirou do sério, me deixou meio descrente, muito chateada. E agora tudo se resolve assim. Vou gastar só um pouquinho com a peça e a tal troca de seral, mas muito menos do que gastaria...

A Ladie tava certa. Tudo se resolve. Eu espero ainda por outros milagres. Que outras coisas se resolvam. Não sei ainda a lição que tirar disso tudo, mas sei mais ou menos. Eu acho. Sei que tudo continua sendo mágico. Sei que me sinto só, às vezes, mas que os amigos estão aí, aqui, do meu ladinho. Que sou amada e bem cuidada, por todos. Que tenho até a Super Mimix pra me resgatar! Putz, amo todos. Amo tanto. Todo mundo. Tu que tá lendo. Tô feliz de estar aqui, de estar viva, de pulsar, de continuar amando e rindo e chorando, quando convém chorar. Tudo passa. Tudo, todas as coisas ficarão bem. Todas. Todas. E, como não podia deixar de ser aquele mui obrigado amigo. Á Ladie, à Mimix, ao Gugu, à vocês todos. Jojo continua sendo uma monina sorridente, feliz e faceira. Agora, nessa hora.



# . por Joelma Terto .  0 Comentários