segunda-feira, dezembro 16, 2002

Strike

Falei aqui que tinha outro amigo secreto na quarta, de um pessoal de uma agência de PP. Se não fosse por isso, eu nunca conheceria aquele lugar. Eu fui naquelas de trocar presentes e ser o que deus quisesse, mas me diverti horrores na noite.

Arquitetonicamente, o lugar é meio estranho. Tem um bar, a parte do boliche, depois tu passa por uma salinha esquisita, onde tem um videokê, sobe umas escadas lá no fundão e encontra um salão com quatro mesas de sinuca. Centro de diversões ou de pagação de mico, como tu achar melhor.

Eu não tenho a mínima intimidade com jogos, de qualquer espécie. Na verdade, jogo dominó tri bem, mas isso não vem ao caso. Vou dizer que jogar boliche foi uma diversão absurda. No final, estávamos em nove e cada cancha abriga seis jogadores. Então, os três que sobraram fizeram dupla. Vale dizer que ninguém ali, salvo um ou outro, entendia nada do riscado. Por isso que deve ter sido tão divertido. Fiquei em terceiro lugar, depois de rir muito e de passar jogadas sem acertar um só pino. O momento mais mais da noite foi quando a cancha devolveu minha bola, assim, do nada. Entrou e voltou. E todo mundo ficou se olhando com cara de ãhn. Coisas que acontecem.

Como se não bastasse, ainda jogamos sinuca. Quer dizer, eu tentei. Juro. E foi meio constrangedor. Digo que consegui, numa jogada, fazer a bola branca saltar por sobre uma outra lá que não vem ao caso dizer aqui qual é. Na verdade eu gosto de sinuca. Gosto mesmo. Mas essa coisa de jogar pra acertar não me dá tesão. Eu descobri que o importante não é a bola na caçapa. O mais legal da sinuca é o barulho das bolas se chocando uma contra as outras. Nossa! Pena que as outras pessoas tenham um espírito tão assim, esportivo. Mas eu prefiro a MINHA idéia de diversão.

Não, não cantamos no videokê. E eu juro que, se alguém tivesse tal idéia infame, eu me recusaria. Ou não, porque a bagaceirice é uma virtude que muito me orgulha.

O que importa é que essa noite foi extremamente divertida. O lugar também não é caro. Pagamos apenas R$5 de ingresso (não sei se não pagamos consumação por ser festa da empresa, mas enfim) e você tem direito a jogar quantas vezes quiser na cancha (é só entrar na fila) e utilizar as outras “diversões”.

O estigma do lugar, sem dúvida, é por causa do pagodão que rola por lá. Mas não sendo dia de pagode, o ambiente é super saudável. Na buena mesmo. Vale a pena ir em turma para os fins a que se destinam o lugar.


# . por Joelma Terto .  0 Comentários