quinta-feira, dezembro 26, 2002

Os sensacionais diálogos com o tio Pedrinho

Primeiro diálogo da noite, enquanto eu tentava, em vão, quebrar algumas nozes, sentada no chão da sala:

Tio: Quer uísque?
Eu: Ânh. Não, obrigada.
Tio: O que? Não bebe uísque, guria?
Eu: (dando uma sacada no rótulo) er... só Jonny Walker.
Tio: E ela ainda entende de uísque?!?
Eu: Não. É que o gostinho é bom...

.....

Tio: Quer dizer que tu é alagoana?!? Bah, tenho muito prazer em conhecer uma alagoana. Alagoas... estado daquele nosso ex-presidente...
Eu: É... Mas ele é carioca. E o avó é gaúcho. Incluvise tem até uma cidade aqui com o nome dele.
Tio: (pros outros convidados) Vocês ouviram o que ela disse? Eu sabia que tinha sangue gaúcho naquele cara! Só podia ter...

.....

O último e mais surreal diálogo da noite aconteceu depois das trocas de presentes. Todo mundo ganhou presente, menos eu, lógico. Daí chega o tio Pedrinho. A sala cheia, todos os familiares da Rafa em volta. Ele começa:

Tio: Minha amiga alagoana, eu gostaria de pedir desculpas por não ter presente pra ti. Estou realmente muito chateado.
Eu: Que é isso, tio Pedrinho. Não tem problema. Eu nem avisei que vinha, como é que vocês poderiam saber?
Tio: Mas o ano que vem tu vem e tem presente pra ti.
Eu: Claro, claro. Ano que vem eu venho e aviso com antecedência.
Tio: E sabe o que é que tu vai ganhar no natal do ano que vem?
Eu: O que?
Tio: UMA PIÇA, DESSE TAMANHO!

.....

Eu juro que isso aconteceu. Eu juro. E tenho TODA a família da Rafa pra provar, inclusive pai e mãe. Eu só ri. Ri, ri, ri. Muito.

Eu ainda retruquei “Mas só no natal do ano que vem?” Não dá pra mandar antes?A Rafa sugeriu que se antecipe o natal de 2003 pra janeiro ou fevereiro. E eu achei uma boa idéia.

Que figura, meu deus. Que figura.


# . por Joelma Terto .  0 Comentários