sexta-feira, dezembro 20, 2002

“Ela é minha menina.Eu sou o menino dela. Ela é o meu amor. Eu sou o amor TODINHO dela” (Jorge Ben)

Putz! E hoje ainda é sexta!

Não tenho noção de quanto tempo passei acordada. Mesmo. Só sei que voltei da casa do Churras às 3 da manhã da quarta para quinta, depois do amigo secreto, e fiquei por aí. Sem pregar o olho.

Muitas coisas. Ontem fiz absolutamente TUDO o que havia planejado e mais um pouco. Depois de sair de casa embaixo de um toró violento, pegar meus biscoitos Daltony (não eram roscas), tomar um café com um editor estranho, ir ao show do Serrote, passar na casa da Rafa (e do Julinhos) com a galera da trupe do fuca da alegria (não era um bonde), e finalmente ir na Chinelagem, ainda fomos pra uma festa lá no Centro Cenotécnico. Pior que tava boa pracaralhos. Muito cha-cha-cha. E haja Ducaccel. Se bem que, no final, eu já tava pedindo pelamordedeus pra que me levassem embora. Jojo-minha cama.

Devo ter dormido hoje umas 5-6 horas. Mas mal. Pelo menos não sou tão zumbi mais. Mas tenho olheiras. E dor na garganta. E umas 378 coisas que quero escrever, contar e fazer. Isso fora o muito muito muito muito trabalho do dia de hoje. Sobreviverá a Jojo? I hope so.

Tanta coisa, tantas coisas. Que eu quero contar, dividir, dar. O amigo secreto maravilhoso, o novos amigos que são uns anjinhos que caíram do céu, a descoberta que o velhos amigos são muito muito mais que amigos, que são tudo, que são meu SOL.

Mas eu vou fazendo, eu vou contando, eu vou vivendo. Devagarinho, sem pressa, paulatinamente...

O mais importante disso tudo é que: eu continuo sendo uma mulher (ou seria uma criança?) muito feliz. Por tudo tudo tudo. Nós, nós todos, os amigos do novo amigos, a trupe-sem-nome-ainda, queremos continuar a viver, brincar, deitar e rolar. O dia tá feio pracaralho, é verão, mas pra mim é primavera e pronto. E ponto. Tenho um gato em cima do meu computador e isso é muito estranho. Um gato não-de-verdade, seus bextas! E eu mudo de cor a cada meia hora, nesse dia, ãhn, cinza? o que é mais estranho ainda. Mas isso é tão bom... Isso, de mudar de cor. Agora mesmo tô bege, mas daqui a pouco fico amarela.

“A lua prateada se escondeu e o SOL DOURADO APARARECEU,
bapitchuba, babapitchuba, ié!..”
(observação: cantar, fazendo a coreografia!)


# . por Joelma Terto .  0 Comentários