terça-feira, novembro 26, 2002

(um post perdido, que encontrei por acaso. tinha digitado isso aí e quando fui postar, há uns dias atrás, cadê? me surgiu agora, mais que de repente, num lugar que não imaginava estar. as coisas vivem me fugindo. às vezes perco o rumo e as palavras. daí uso a dos outros, ao meu bel prazer, pra me satisfazer. mas isso nem era pra estar aqui.)

Amore mio, è la forza della vita

“Scrivimi quando il vento avrà spogliato gli alberi
Gli altri sono andati al cinema ma tu vuoi restare sola
Poca voglia di parlare allora scrivimi
Servirà sentirti meno fragile
quando nella gente troverai solamente indifferenza
tu non ti dimenticare mai di me”

Tu descobre o quão sentimental-brega é quando se dá conta que acabou de ouvir, no repeat, por 4 vezes seguidas, o Equilíbrio Distante (do RR). Cantando alto. Incomodando os vizinhos. Emocionada.

“Em vez de luz, tem tiroteio no fim do túnel. É sempre mais do mesmo. Não era isso que você queria ouvir? Bondade tua me explicar, com tanta determinação, exatamente o que eu sinto, como penso e como sou. Eu realmente não sabia que eu pensava assim. E agora você quer um retrato do país. Mas queimaram o filme” (Legião)

(meu novo vizinho está agora ouvindo, cantando e tocando Legião Urbana. tudo ao mesmo tempo, como costuma fazer. acordo todos os dias assim e tenho boas surpresas ao longo do dia. eu creio que adoro esse guri e que vou sentir saudades quando conseguir um apê novo em breve...)


# . por Joelma Terto .  0 Comentários