segunda-feira, novembro 25, 2002

Bicho de Blair

Desde ontem tenho um bicho de estimação. Ele é lindo e multicolor.

Fui tomar um chimas com o Mário na igrejinha da Assunção. Um lugar massa, com uma vista afudê do Guaíba. Sentamos na grama e enquanto ouvíamos, involuntariamente, uma missa e presenciamos um casamento, encontrei Bicho de Blair.

Diria o que ele é, se eu soubesse. Ele tem uns 3 mm, o corpo é vemelho e laranja, e tem olhos e uns detalhes lilás. Tiraria uma foto, se tivesse uma lente telescópica. Mas desenharei ele, qualquer hora e coloco aqui. Creio que vocês vão adora-lo.

Não resisti à tentação e trouxe o bicho pra casa. O Mário queria que eu colocasse num pote hermético transparente, mas eu não ia fazer isso. Trouxe-o junto com seu habitat natural, (aka um galho em forma de forquilha, com umas coisas estranhas penduradas, vegetais, líquens), onde ele passa o dia inteiro, caminhado de um lado a outro.

Coloquei o galho junto com A Planta morre-não-morre. Espero que eles convivam em harmonia. Também creio que não terei problemas com Gugussauro, meu outro bicho de estimação, um dinossauro de pelúcia, amarelo e fálico, muito simpático e chapado.

Meu novo bicho não tem nome ainda e aceito sugestões. Sei que é difícil pra quem ainda não conhece a carinha dele, mas com as descrições que dei, vocês podem imaginar. Por enquanto, chamo-o de Bicho de Blair. Quando vocês verem o habitat dele, vão entender o porque.

O problema em ter um bicho que não se sabe o que é, é que eu não sei o que ele come. Mas acho que ele se alimenta dos troços estranhos que há no galho. De qualquer forma, tenho regado seu habitat com água, caso ele sinta sede.

A Rafa perguntou se ele não é venenoso. É uma boa pergunta. Espero que não. Espero também que ele não fuja. Nem morra. Porque eu ficaria muito triste. Espero também que ele não seja um bicho, mas uma bicha. Que esteja prenhe e que dê muitos filhotes.


# . por Joelma Terto .  0 Comentários